Juro baixo deixa financiamento de carro popular R$ 4.100 mais barato

Em 5 meses, valor final para quitar automóvel de R$ 40 mil custeado em 60 prestações pelo CDC caiu de R$ 64.120 para R$ 60.008

Juro do financiamento automotivo cai para 1,4% ao mês com novo corte da Selic

Juro do financiamento automotivo cai para 1,4% ao mês com novo corte da Selic

Pixabay

A sequência de quedas da taxa básica de juros da economia brasileira já começa a aliviar o bolso dos consumidores que buscam por financiamentos e empréstimos pessoais.

Desde agosto, período em que a Selic caiu 2 pontos percentuais, de 6,5% ao ano para 4,5%, a compra financiada de um automóvel popular no valor de R$ 40 mil despencou R$ 4.112,55.

A projeção, realizada pelo diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças), Miguel José Ribeiro de Oliveira, leva em conta um financiamento dividido em 60 prestações por meio do CDC (Crédito Direto ao Consumidor).

Leia mais: Poupança e fundos perdem da inflação com Selic a 4,5% ao ano

De acordo com o cálculo, quem adquiriu um veículo de R$ 40 mil entre março de 2018 e agosto de 2019, precisará desembolsar R$ 64.120 para quitar o financiamento com parcelas R$ 1.068,68 e juros de 1,7% ao mês.

A partir de agora, o motorista que optar por um carro do mesmo preço, nas mesmas condições de financiamento, terá que arcar com juros mensais de 1,44% e prestações de R$ 1.000,14. Após 60 meses, o valor final pago pelo automóvel será R$ 60.008,11.

De acordo com a Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), o volume de recursos liberados para financiar veículos saltou 28,5% no terceiro trimestre de 2019, em comparação com mesmo mês do ano passado.

"Fatores macroeconômicos, como a queda da taxa básica de juros, têm gerado mais previsibilidade ao mercado, o que favorece a decisão do tomador de crédito”, avaliou o presidente da Anef. Paulo Noman, à época.

Outras linhas

A queda de outras linhas de crédito também deve ajudar os consumidores e movimentar o comércio. A compra de uma geladeira de R$ 1.500 financiada em 12 prestações, por exemplo, ficará R$ 25,14 mais em conta em comparação ao mês de julho.

Veja mais: Juro do cheque especial não poderá superar 8% ao mês

Leia também: Bancos acompanham BC e anunciam cortes de juros

Enquanto o preço final do acessório de cozinha saia por R$ 2.033,15 há seis meses, com juros 5,02% ao mês, o valor atual é de R$ 2.008,01, com prestações de R$ 167,33.

Além das linhas de financiamento do varejo, a Selic a 4,5% ao ano também deve impactar nos juros do cartão de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal em bancos e financeiras.