Economize Oferta de ações bate recorde. Vale investir em estreantes na bolsa?

Oferta de ações bate recorde. Vale investir em estreantes na bolsa?

Segundo a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) 16 empresas ingressaram na Bolsa de Valores este ano. Entre elas, Locaweb, Pague Menos e Estapar 

  • Economize | Márcia Rodrigues, do R7

16 empresas ingressaram na Bolsa só neste ano, aponta CVM

16 empresas ingressaram na Bolsa só neste ano, aponta CVM

Pixabay

A Bolsa de Valores bateu recorde empresas estreantes interessadas em vender suas ações para o público pela primeira vez.

É o conhecido IPOs (Initial Public Offering, sigla para Oferta Pública Inicial (ou OPI).
Bruno Luna, chefe da assessoria de análise econômica e gestão de riscos da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), afirma que ao longo de setembro foram realizadas 8 IPOs, somando 16 novas ofertas neste ano.

Leia mais: Vale a pena investir em empresas que vão estrear na Bolsa?

“Ao analisar mais a fundo, houve 12 ofertas de distribuição de ações no mês, totalizando um valor expressivo de captação de R$ 16,6 bilhões", diz Luna.

Vale a pena comprar ações de empresas novatas na bolsa de valores? Especialistas recomendam cautela.

Leia mais: Pequenos investidores já podem comprar ações de empresas gringas

Os IPOs são mais arriscados por não terem um histórico de resultados mais amplo das empresas que estão estreando no mercado de capitais, diz Aline Tavares, especialista em ações da Spiti.

“Para saber como a companhia se comporta em momentos de crise, mais agudos ou melhores, o ideal é ter um acompanhamento dos últimos 10 anos. Quando uma empresa faz o IPO, ela abre os dados de apenas os últimos três anos.”

Aline Tavares

Aline diz que é uma “lenda urbana” achar que toda ação comprada em IPO sobe.

“Algumas estreiam bem e outras com grandes quedas, como foi o caso da construtora Moura Dubeux, que até setembro registrava queda de 70%, e da Allpark [dona da rede de estacionamento Estapar], que ultrapassou 10% de queda.”

Leia mais: Conheça os 5 erros mais comuns cometidos por novos investidores

Como exemplo positivo de estreia na bolsa ela cita a Locaweb (empresa de hospedagem de sites), a Quero-Quero (rede varejista) e a Pague Menos (rede de farmácias).

Para Aline, não dá para generalizar. Por isso, o investidor precisa fazer a lição de casa antes de se arriscar para comprar ações de uma companhia estreante.

“É preciso avaliar a empresa, quem está no seu comando, quais são as expectativas do setor que atua.”

Outra dica da especialista é comparar a atuação e o desempenho da companha com outras empresas do setor (se tiver).

Há risco, mas pode ser uma oportunidade

Miguel José de Oliveira, diretor executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), destaca que ações de IPOs são indicadas apenas para pessoas que querem correr riscos e que têm dinheiro disponível – que não seja da sua reserva de emergência – para investir.

“O lançamento de ações cresceu no mundo inteiro, não somente no Brasil, e sempre traz oportunidades, porque os papeis são mais baratos nessa fase e podem valorizar, mas pode ser uma decepção.”

Miguel de Oliveira

Últimas