Economize Ovo e carne sobem, mas preços do arroz e leite ficam mais em conta

Ovo e carne sobem, mas preços do arroz e leite ficam mais em conta

Valores dos quatro produtos foram destaque no índice dos supermercados nos últimos cinco meses, segundo associação

  • Economize | Márcia Rodrigues, do R7

Preço da dúzia de ovo subiu 11,4% no acumulado de janeiro a maio

Preço da dúzia de ovo subiu 11,4% no acumulado de janeiro a maio

Pixabay

Os preços do ovo, carne (dianteiro e traseiro) e feijão registraram as maiores elevações no acumulado de janeiro a maio deste ano, segundo o Abramercado (Índice Nacional de Consumo dos Lares Brasileiros).

No mesmo período, antigos vilões dos carrinhos de supermercados, como arroz, leite longa vida e óleo de soja, tiveram seus preços reduzidos, apontou o indicador divulgado nesta quinta-feira (8) pela Abras (Associação brasileira dos Supermercados).

Entre as maiores altas, estão:

• Ovo (11,4%);
• Carne dianteiro (9,7%);
• Carne traseiro (5,6%); e
• Feijão (4,2%).

Entras as principais quedas, estão:

• Pernil (7,4%);
• Arroz (4,5%);
• Leite longa vida (3,5%); e
• Óleo de soja (1,6%).

A pesquisa da Abras monitora os preços de 35 produtos de largo consumo nos supermercados. Alguns deles compõem a cesta básica.

Na comparação entre abril e maio, as maiores altas foram:

• Tomate (7,12%);
• Biscoito cream cracker (3.58%);
• Carne dianteiro (3,20%);
• Carne traseiro (3,07%); e
• Farinha de trigo (3,02%).

Entre as principais baixas, destacaram-se:

• Cebola (11,47%);
• Arroz (1,92%);
• Xampu (1,20%);
• Batata (0,86%);
• Feijão (0,83%); e
• Queijo muçarela (0,83%).

Cesta básica nacional tem alta de 1,52%

Em maio, a cesta básica do indicador Abrasmercado atingiu o valor de R$ 653,42, alta de 1,52% em relação a abril.

Na comparação entre as cinco regiões do Brasil, a divisão ficou assim:

Norte – R$ 742,17 (alta de 1,84%)
Sul – R$ 709,59 (alta de 2,10%)
Sudeste – R$ 627,97 (alta de 0,82%)
Centro-Oeste – R$ 606,12 (alta de 0,69%)
Nordeste – R$ 581,26 (alta de 2,01%)

Últimas