Economize Quais investimentos você consegue fazer com a nota de R$ 200?

Quais investimentos você consegue fazer com a nota de R$ 200?

Fundo de renda fixa, CDB e Tesouro Selic são algumas das sugestões dadas por especialistas por permitirem aplicações com baixos valores

  • Economize | Márcia Rodrigues, do R7

Cédula de R$ 200 começou a circular na quarta-feira (2) no país

Cédula de R$ 200 começou a circular na quarta-feira (2) no país

Raphael Ribeiro/BCB - 02.09.2020

A nota de R$ 200 começou a circular na quarta-feira (2) no Brasil. A mais nova integrante da família do Real chega para tomar o posto de cédula de maior valor na economia do país. 

Leia mais: Veja perguntas e respostas para tirar dúvidas sobre a nova cédula

O lançamento da nota de R$ 200 gerou até fila de pessoas interessadas em adquiri-la em primeira mão. Mas, melhor do que ter uma nota de R$ 200 na carteira é investir e garantir um rendimento com o valor.

Qualquer investimento com esta quantia vale a pena, mesmo que renda pouco porque vai, no mínimo, repor a inflação, diz Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

“A nota de R$ 200 tem mais poder de compra hoje do que terá em dezembro porque a inflação corrói a moeda.”

Miguel Ribeiro de Oliveira

Oliveira afirma que a partir de R$ 100 é possível aplicar num fundo de renda fixa, CDB de bancos mais populares, por exemplo.

Lucas Collazo, analista da Rico Investimentos, lembra que a partir de R$ 30 é possível comprar títulos do Tesouro Direto.

Outra opção, segundo Collazo, são os fundos de investimentos passivos no mercado com a aplicação inicial de R$ 100.

Leia mais: Nota de R$ 740 milhões? Conheça a nota de R$ 200 e as mais valiosas do mundo

“Também existem os FIIs, os fundos que investem em carteiras de fundos por classe, multimercado, ações e previdência.” Lucas Collazo

O ideal, de acordo com o educador financeiro, é iniciar os investimentos pensando na construção de uma reserva de emergência, caso ainda não tenha.

“É importante manter uma reserva que garanta de seis a 12 meses do seu custo fixo mensal”, orienta.

Leia mais: BC: nota de 20 reais custa mais que a de 100, e a de 5 é a mais rara

Para esse objetivo, Collazo sugere aplicações de baixo risco e com liquidez. Entre elas:

• Tesouro Selic; e
• CDBs que paguem 100% do CDI pelo menos.

Depois de formada a reserva de emergência, o educador financeiro acredita que seja a hora de buscar outras aplicações conforme o seu perfil investidor.

“Às vezes as pessoas gastam muito tempo procurando um investimento que seja o pote de ouro no fim do arco íris, mas o mais importante é ter uma boa educação financeira.”

Lucas Collazo

Para Collazo, é preciso gastar menos do que se ganha, acumular patrimônio, fazer aportes mensais e entender que a rentabilidade não acontece no curto prazo e que é um processo.

Últimas