Quer cortar gastos? Listamos 10 dicas para ajudar a sair do vermelho

Especialistas enumeram uma série de orientações para colocar o orçamento em dia e mudar pequenos hábitos que auxiliam a reduzir despesas 

Primeira dica é criar uma planilha com os gastos e a receita

Primeira dica é criar uma planilha com os gastos e a receita

Pexels

Quatro em cada 10 brasileiros querem reduzir seus gastos mensais em 2020, segundo pesquisa da CNDL/SPC (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas/Serviço de Proteção ao Crédito).

Seja por causa do orçamento que anda apertado, porque o salário termina antes do fim do mês ou porque quer mudar o seu perfil de endividado para investidor, o primeiro passo é reconhecer os excessos e colocar todos os gastos e ganhos no papel.

Leia mais: Sobrou mês no fim do salário? Veja 8 dicas para seu dinheiro render mais

Confira as dicas dos especialistas Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), e da educadora financeira Teresa Tayra:

1) Orçamento doméstico


Crie uma planilha – no computador ou numa caderneta – e coloque todos os seus rendimentos e gastos do mês, inclusive as menores despesas.

A planilha tem dois objetivos: educar e identificar os excessos cometidos ao longo do mês.

Leia também: Como investir os primeiros R$ 100 na Bolsa de Valores

“É na planilha que você vai conseguir perceber todas as despesas que tem no mês. Se você gasta dentro do orçamento, não terá de recorrer a empréstimos e pagar juros, medidas que acabam contribuindo para acumular dívidas”, diz Oliveira.

Para Teresa, a principal lição para quem quer se educar financeira é “sair do piloto automático de seus consumos”.

2) Pequenos gastos


Muitas vezes, aquele gasto pequeno que é feito diariamente de forma até inocente, pode se transformar no grande vilão no fim do mês.

Afinal, se somar o acumulado, de R$ 5 em R$ 5, se chega a R$ 500.

3) Compras a prazo

É a mesma regra aplicada para os pequenos gastos. De pouco em pouco, você pode comprometer todo o seu orçamento do mês.

4) Customize roupas

Em vez de sair comprando as novidades expostas nas vitrines a cada mudança de estação, que tal customizar as roupas que já existem no seu guarda-roupa.

“Use e abuse da criatividade”, comenta Teresa.

5) Leve comida

Se o orçamento está muito apertado, uma opção é levar marmita para o trabalho. Assim, o vale-refeição pode ser usados para pequenas saídas no fim de semana.

Leia também: Self-service da zona norte tem os preços mais baratos da capital de SP

O mesmo vale para a sobremesa. “Se não quer levar marmita, que tal, pelo menos, trocar a sobremesa comprada por uma feita por você. Mostre seu talento. Os amigos do trabalho agradecerão”, sugere Teresa.

6) Gastos com telefonia

Gaste um tempinho e paciência nas centrais de atendimento das operadoras de telefonia.

Leia também: Bancos oferecem antecipação da restituição do IR; vale a pena?

Apesar de, muitas vezes, poder ser estressante, normalmente elas têm planos novos que podem atender sua necessidade e que custam menos.

7) Serviços bancários

Já tentou migrar de pacotes ou mudar para banco digitais? “Existe ainda o pacote essencial onde não se cobra tarifas com limite reduzido de serviços. Vale a pena pesquisar e consultar o seu gerente”, conta Teresa.

8) Programas gratuitos

Gosta de ir a shows, teatro, cinema nos fins de semana? Não é preciso ficar em casa até pagar todas as dívidas.

Pesquise na internet a programação do fim de semana. Há opções para todos os gostos inteiramente grátis. Vale a pena buscar essas atividades para controlar o orçamento.

9) Cartão de crédito

Se você é do tipo de consumidor que faz compras por impulso, o melhor a fazer é deixar o seu cartão de crédito em casa até as finanças ficarem em dia.

10) Guarde 10% do salário

Mesmo endividado, é importante manter um fundo de reserva para eventuais contratempos. O carro pode quebrar, você pode ficar doente e precisar comprar muitos remédios, afinal, imprevistos acontecem.

Leia também: IR 2020: Conheça 9 investimentos isentos de Imposto de Renda

E, nessas horas, se não tiver uma reserva, será necessário recorrer a um empréstimo ou cheque especial. O que pode ser o pontapé inicial para o endividamento.

“Manter esta reserva de 10% do salário, além de ser uma garantia, pode ser o início do seu pé de meia ou, até, uma economia para fazer uma viagem de férias”, orienta Oliveira.

Acompanhe o R7 Economize no Facebook (https://www.facebook.com/r7economize/) e no Instagram (https://www.instagram.com/r7economize/)