Economize Saque da poupança supera depósito em R$ 5,8 bi em fevereiro

Saque da poupança supera depósito em R$ 5,8 bi em fevereiro

Este é o maior volume de retiradas para meses de fevereiro desde 2016, quando as saídas somaram R$ 6,638 bilhões

  • Economize | Do R7

Retirada ocorre no segundo mês consecutivo; em janeiro valor chegou a R$ 18 bilhões

Retirada ocorre no segundo mês consecutivo; em janeiro valor chegou a R$ 18 bilhões

USP Imagens

A fuga de recursos da caderneta de poupança em fevereiro chegou a R$ 5,8 bilhões, de acordo com o balanço divulgado nesta quinta-feira (4) pelo Banco Central. O volume de retirada é o maior para meses de fevereiro desde 2016, quando as saídas somaram R$ 6,638 bilhões. Em fevereiro do ano passado, os saques líquidos – diferença entre retiradas e depósitos – tinham atingido R$ 3,57 bilhões.

O total de saque da poupança foi de R$ 245,656 bilhões no mês passado, enquanto os depósitos chegaram a R$ 239,824 bilhões. A fuga de recursos ocorre pelo segundo mês consecutivo, mas o volume foi menor que o registrado em janeiro, quando R$ 18 bilhões deixaram o investimento – a maior retirada da história. 

Tradicionalmente, os dois primeiros meses do ano apresentam fortes saques da poupança. Isso porque a população usa parte das reservas financeiras para cobrir gastos de início de ano, como impostos, material escolar e quitar as compras de Natal.

Mas neste ano coincide com o fim do auxílio emergencial, que terminou no final de dezembro e beneficiou 68 milhões de brasileiros no período de oito meses com um total de R$ 294 bilhões. Em 2020, a caderneta de poupança registrou entrada líquida de R$ 166,310 bilhões, melhor resultado desde o início da série histórica, em 1995.

Últimas