Economize Serasa prorroga feirão que dá até 98% de desconto para quitar dívida

Serasa prorroga feirão que dá até 98% de desconto para quitar dívida

Consumidor poderá renegociar débitos de R$ 200 a R$ 1.000 até 8 de setembro. Acordo também tira nome do devedor de cadastro de restrições

  • Economize | Márcia Rodrigues e Raphael Fernandes, do R7

Endividado deve avaliar orçamento antes de aderir

Endividado deve avaliar orçamento antes de aderir

LUIS LIMA JR/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Consumidores que estão com débitos entre R$ 200 e R$ 1.000 em aberto terão mais um tempinho para renegociar suas dívidas e limpar o nome.

Leia mais: Muitas dívidas? Veja quais contas você deve priorizar o pagamento

A Serasa prorrogou o feirão online para quitação de débitos até o dia 8 de setembro.

Quem aderir, pode obter descontos de até 98% na negociação. O feirão estava previsto para terminar nesta segunda-feira (31).

Para participar, o consumidor deve acessar o site da Serasa ou baixar o aplicativo no celular, digitar o CPF e preencher um breve cadastro.

Leia mais: Pandemia não é momento de pagar dívidas vencidas, diz especialista

Também é possível regularizar os débitos financeiros pelo WhatsApp, número 11 98870-7025.

2,5 milhões de débitos quitados

Levantamento da Serasa aponta que, até o momento, mais de 2,5 milhões de débitos entre R$ 200 e R$ 1.000 foram quitados por apenas R$ 100.

Leia mais: Descontrole financeiro eleva inadimplência na pandemia

Com esse novo prazo, a expectativa é de que mais 21,5 milhões de dívidas possam ser pagas com este mesmo valor.

Entre os parceiro da ação, estão:

• Algar;
• Anhanguera;
• Ativos;
• Avon;
• Calcard;
• Casas Bahia;
• Credsystem;
• Hoepers;
• Itapeva;
• Iuni;
• Pernambucanas;
• Pitagoras;
• Ponto Frio;
• Recovery;
• Tricard;
• Uniderp;
• Unime;
• Unique;
• Unirondon;
• Unopar; e
• Vivo.

Faça as contas antes de aderir ao feirão

Se as finanças da família estão sendo afetadas com a crise, possivelmente não conseguirá honrar com a negociação feita no feirão, segundo Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira.

Leia mais: Você sabia que pode autossabotar seu orçamento? Como identificar?

Em meio à pandemia, precisamos priorizar a sobrevivência: educação, saúde e alimentação. Não é o momento para pagar dívidas vencidas e regularizar seu nome.

Reinaldo Domingos

Antes de renegociar as dívidas, o educador financeiro Ivan Sanches diz que é preciso avaliar se as parcelas caberão no seu orçamento.

Leia mais: Endividamento das famílias bate recorde no Brasil, diz pesquisa

O cidadão não deve comprometer parte significativa de sua renda para esse tipo de acordo. Tem de ser algo que caiba nas receitas.

Ivan Sanches

"Só se deve buscar a renegociação de dívidas quando tiver condições de pagar, ou seja, após conhecer as suas finanças e se planejar. Um passo precipitado pode até piorar a situação", orienta Domingos.

Leia mais: Veja 5 sinais de que você mantém um padrão de vida acima da renda

Por onde começar as renegociações?

A pedido do R7 Economize, a educadora financeira Teresa Tayra fez algumas dicas para te ajudar a sair do endividamento. Confira abaixo:

Leia mais: Você sabia que pode autossabotar seu orçamento? Como identificar?

Cada caso deve ser analisado com atenção. O primeiro passo é listar todas as dívidas de forma bem detalhada:

Valor: faça as contas para saber qual é o exato montante da sua dívida;
Consequência: existem alguns tipos de dívidas que têm consequências mais graves. Por exemplo, contas de consumo que podem afetar seu dia a dia;
Juros por atraso: muitas vezes é possível trocar uma dívida com juros altos por uma com taxas mais atrativas. Exemplo: cartão por um empréstimo pessoal ou consignado; e
Credor: dependendo de quem for, é possível fazer uma negociação e você pode ganhar tempo arrumar uma renda extra;

Mapeie sua dívida

Faça um mapeamento da situação. Com ele você poderá fazer a análise com mais consciência sobre as prioridades de quitação.

Aprenda com os erros

Aproveite o período para fazer uma reflexão e aprender a controlar seus gastos e manter um orçamento saudável.

Últimas