Tarifa para transferência entre contas pode variar até 450%

Pesquisa divulgada pelo Procon-SP também apontou que BB e Bradesco elevaram o preço de todos os 25 serviços bancários que oferecem em um ano

Bancos devem informar valores de serviços aos clientes

Bancos devem informar valores de serviços aos clientes

André Lessa/Estadão Conteúdo

Fazer uma transferência bancária entre contas pode ter uma diferença de até 452%, dependendo da instituição financeira. É o que aponta levantamento divulgado nesta sexta-feira (26) pelo Procon-SP.

Leia mais: Quer aprender mais sobre finanças para investir? Veja 11 cursos grátis

Enquanto na Caixa o valor cobrado pelo serviço é de R$ 6,90, no Safra era R$ 1,25.

A pesquisa, feita com os seis principais bancos do país – Caixa, BB, Bradesco, Itaú, Safra e Santander –, comparou as tabelas de serviços prioritários e dos pacotes padronizados vigentes em 2019 e em 2020.

Veja também: Conheça 3 investimentos para iniciantes na Bolsa de Valores

Os dados foram coletados nos sites dos bancos no período de 20 de maio de 2019 a 2 de junho deste ano.

BB e Bradesco elevaram preço de todos os serviços

O levantamento também constatou que todas as instituições aumentaram o valor de pelo menos uma de suas tarifas referentes aos serviços prioritários. 

BB e Caixa foram os que mais alteraram suas tarifas. Confira:

Leia mais: Vale a pena sacar o FGTS emergencial para investir?

• Banco do Brasil e Bradesco aumentaram o valor de 25 de suas respectivas tarifas;
• Santander aumentou de 24;
• Itaú, de 22;
• Caixa elevou 17 tarifas; e
• Safra, de apenas uma.

Comparando os valores médios cobrados pelas tarifas dos serviços prioritários de 2020 com os de 2019, a mostra apontou que houve em média um acréscimo de 3,87%, acima dos 2,36% registrados pelo IPC-SP da FIPE para o período analisado.

Veja ainda: Investir em ações da Petrobras é um bom negócio no momento?

4 bancos isentam clientes de tarifa do cheque especial

Com as novas regras, a cobrança da taxa de juros do cheque especial para pessoa física ficou limitada em 8% ao mês, mas, em contrapartida, uma nova tarifa sobre a concessão de cheque especial que exceder o limite de R$ 500.

A cobrança é feita uma vez por mês da seguinte forma:
• 0% para limites de crédito de até R$ 500; e
• 0,25% para limites de crédito superiores a R$ 500, calculados sobre o valor do limite que exceder R$ 500.

Leia mais: Conheça 3 investimentos que podem complementar o salário

Banco do Brasil, Bradesco, Caixa e Itaú informam que isentam os seus clientes de tal tarifa. Santander não dispõe a informação no seu site, e no Safra o valor máximo da tarifa é de R$ 29,90.

Pacote padronizado tem diferença de 45,16%

Quanto ao pacote de tarifas padronizados, a maior diferença encontrada foi de 45,16% no pacote IV.  Enquanto no Itaú é de R$ 45, no Safra é de R$ 31.

Leia mais: Como investir os primeiros R$ 100 na Bolsa de Valores

A maior variação de uma instituição encontrada no mesmo pacote foi no Bradesco. Passou de R$ 38,90 em 20 de maio de 2019 para R$ 44,90 em 2 de junho deste ano: uma variação de 15,42%.

“É dever do banco divulgar informações sobre os pacotes em local visível ao público, inclusive na internet, facilitando assim, a escolha do consumidor de um pacote mais adequado às suas necessidades e de acordo com sua utilização.”
Procon-SP

De 2019 para 2020, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Itaú elevaram os preços dos pacotes padronizados. Safra e Santander não alteraram os valores.

Segundo a nota do Procon-SP, a diferença entre os pacotes de tarifas – I, II, III e IV – está na quantidade de serviços oferecidos e na inclusão de itens sobre fornecimento de folhas de cheque, transferências por meio DOC e TED.

Bancos devem informar sobre pacote básico

A contratação do pacote não é obrigatória, não podendo ser imposta pelo banco.

As instituições, segundo o Procon, devem informar e oferecer gratuitamente serviços essenciais aos correntistas. São Eles:

• 10 folhas de cheque (exceto para contas que só permitem a movimentação com cartão);
• 4 saques;
• 2 extratos dos últimos 30 dias; e
• duas transferências entre contas da própria instituição.