Reforma da Previdência
Economia Em carta ao Congresso, Bolsonaro fala em 'grande mudança no Brasil'

Em carta ao Congresso, Bolsonaro fala em 'grande mudança no Brasil'

Segundo o texto do presidente, a proposta de reforma da Previdência a ser apresentada ao Congresso será moderna e fraterna

Bolsonaro

Sessão solene de abertura do Legislativo em 2019

Sessão solene de abertura do Legislativo em 2019

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Em carta enviada ao Congresso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a reforma da Previdência é o primeiro passo para a criação de um "círculo virtuoso na economia" do país. A carta, que inicia os trabalhos do ano legislativo, foi entregue pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), e lida pela deputada Soraya Santos (MDB-RJ), 1ª secretária da Câmara.

"Estamos conscientes - nós e todos os formadores de opinião responsáveis -: o grande impulso deste novo ambiente virá com o projeto da Nova Previdência", diz a carta.

Com a reforma, afirmou Bolsonaro, tem início uma grande mudança no Brasil. "A confiança sobe, os negócios fluem, o emprego aumenta. E eis que se inicia um círculo virtuoso na economia."

Leia mais: Mourão: 'Está pacificado' o aumento da contribuição de militares

Assim, disse o presidente, a iniciativa pretende elevar a taxa da poupança nacional, criando condições de aumentar os investimentos e o ritmo de crescimento. "É um caminho consistente para liberar o País do capital internacional."

Segundo a carta do presidente, a proposta de reforma da Previdência a ser apresentada ao Congresso será moderna e fraterna, conjugando o equilíbrio atuarial com o amparo a quem mais precisa. Mas frisou que vai separar "previdência" de "assistência" e que vai combater fraudes e privilégios.

A carta ainda reforçou que o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que mudará as regras da aposentadoria deve conter um regime de capitalização. "A Nova Previdência vai materializar a esperança concreta de que nossos jovens possam sonhar com seu futuro, por meio da Poupança Individual da Aposentadoria, um dos itens que estão sendo formulados."

Barragens

Em sua mensagem ao Congresso, o presidente também citou que seu governo quer melhorar o modelo de fiscalização de barragens.

Segundo ele, nos governos anteriores as estruturas de fiscalização eram sobrepostas, o que, ao mesmo tempo que inibiu quem queria produzir, não conseguiu coibir a tragédia de Brumadinho.

O presidente ainda enfatizou que o governo continuará empregando toda energia para dar suporte às famílias, para melhorar o modelo de fiscalização de barragens e para colaborar com as investigações. "Não é com um Estado mais pesado que vamos resolver e, sim, com um Estado mais eficiente."

fonte: Estadão Conteudo