Economia Em tentativa de conter vírus, empresas chinesas mandam funcionários trabalharem de casa mesmo após fim de feriado

Em tentativa de conter vírus, empresas chinesas mandam funcionários trabalharem de casa mesmo após fim de feriado

Reuters

Por Josh R. Horwitz e Yingzhi Yang

XANGAI/PEQUIM (Reuters) - Gigantes corporativas chinesas, incluindo o Alibaba Group Holding e a Tencent Holdings, disseram ter pedido a suas equipes que trabalhem de casa por uma semana após o término do feriado prolongado do Ano Novo Lunar, buscando limitar a propagação de um novo vírus semelhante à gripe.

O governo prolongou em três dias o feriado do Ano Novo Lunar de uma semana, até 2 de fevereiro, numa tentativa de conter o vírus que matou 81 pessoas. O número total de casos confirmados nesta segunda-feira saltou cerca de 30% para mais de 2.700.

Mas muitas grandes empresas estão dando um passo além, dizendo aos funcionários para trabalharem em casa até sexta-feira, 7 de fevereiro, e não voltarem para seus escritórios até segunda-feira, 10 de fevereiro.

O Alibaba disse que a medida se aplica a todas as suas divisões, incluindo trabalhadores em Hong Kong, Taiwan e Macau, bem como na China continental. A empresa emprega mais de 100 mil pessoas em todo o mundo, a maioria delas na China.

O governo de Xangai também impôs uma medida semelhante, anunciando que todas as empresas da cidade não terão permissão para começar a trabalhar antes de 9 de fevereiro, assim como a cidade vizinha de Suzhou, lar de um grande parque industrial para empresas farmacêuticas e de tecnologia.

A decisão do governo de Xangai afetará empresas como Tesla, General Motors e Volkswagen que detêm suas próprias fábricas ou as operam com parceiros locais na cidade.

Wuhan, uma cidade de 11 milhões de habitantes e o epicentro do surto, já está em confinamento e existem severos limites de locomoção em várias outras cidades chinesas.

Em Hong Kong, onde o feriado é mais curto, a bolsa de valores cancelou uma cerimônia de quarta-feira para o primeiro dia de negociações do Ano Novo Lunar, citando os riscos crescentes da infecção por coronavírus.

A decisão foi tomada depois que Hong Kong proibiu os residentes de Hubei de entrar no em seu território a partir desta segunda-feira.

À medida que as empresas se preparam para o vírus atingir os negócios, os reguladores financeiros da China disseram que estavam incentivando os bancos a baixar as taxas de empréstimos para setores fortemente afetados pelo surto.

Últimas