Economia Empresas apostam em pet day para aliviar estresse de funcionários

Empresas apostam em pet day para aliviar estresse de funcionários

Duas trabalhadoras contaram ao R7 sobre experiência de levar cachorros — um beagle e um golden retriever — ao trabalho

  • Economia | Giuliana Saringer, do R7

Júlia levou Chopp ao trabalho

Júlia levou Chopp ao trabalho

Acervo pessoal

O beagle Chopp, de 4 meses, fez sucesso no pet day da MSD Saúde Animal. A analista de marketing da empresa Júlia Aleixo levou o animalzinho e teve um dia mais leve no ambiente de trabalho.

As empresas que adotam o pet day escolhem um dia específico para que os funcionários que tenham animais de estimação possam levá-los ao trabalho.  

Júlia levou um pote de água, petiscos e brinquedos para o dia de Chopp. “Tem dias que acabam sendo maçantes, intensos [no trabalho]. Quando envolve cachorros, o ambiente fica mais leve." 

Chopp conquistou os colegas de Júlia

Chopp conquistou os colegas de Júlia

Acervo pessoal

A analista de marketing tem uma câmera instalada em casa para acompanhar o dia a dia de Chopp enquanto não está. “Pela primeira vez eu não o deixei sozinho em casa. Ele curtiu o dia comigo”, afirma, comentando que conseguiu ficar mais tranquila e não precisou ficar acompanhando a câmera de “cinco em cinco minutos”.

Thor passou o dia brincando e recebendo carinho na empresa

Thor passou o dia brincando e recebendo carinho na empresa

Bianca Alves/ Concentrix

A designer da Concentrix, Cristiane Bernardini, levou Thor, de 5 anos, para conhecer os colegas e o ambiente de trabalho. O golden retriever terminou o dia exausto e recebendo carinho de todos.

Sobre a experiência do pet day, Bernardini diz que “como uma boa mãe coruja, [foi incrível] poder mostrar que ele [Thor] é maravilhoso”. Thor ficou com outros animais em um espaço preparado pela empresa, com brinquedos e todos os utensílios necessários para os animais. 

Thor tem cinco anos

Thor tem cinco anos

Bianca Alves/ Concentrix

Conhecendo novas pessoas

“Ninguém resiste a filhotes”, disse Júlia, contando que conseguiu conhecer outros colaboradores que chegaram até ela para brincar com o beagle. “Eu não sabia como seria a reação [do cachorro], mas ele amou as pessoas, interagiu com todo mundo. Chegou em casa e capotou.”

Para o gerente de RH (Recursos Humanos) da MSD Saúde Animal, Odair Castro, experiências como a de Júlia são comuns. “O pessoal facilita muito o profissional. Cria uma pessoalidade maior, o vínculo com os colegas de trabalho.” Na empresa, o pet day foi organizado pelo marketing em parceria com o setor de RH. 

A gerente da Catho, Maiara Tortorette, afirma que pet day é uma iniciativa que tem ganhado cada vez mais espaço dentro das organizações brasileiras, para equilibrar a vida pessoal e profissional dos colaboradores.

“Cada vez mais empresas têm investido no pet day com objetivo de aumentar engajamento dos colaboradores, além de tornar o ambiente de trabalho cada vez mais saudável para todos”, afirma.

“Etiqueta” para os pets

Antes de levar o animal para o trabalho, Tortorette explica que o funcionário deve se certificar que o pet é amigável, que está com todas as vacinas em dia e protegido contra pulgas e carrapatos. Já a empresa deve analisar se possui um ambiente adequado para receber os visitantes antes de oferecer o benefício. 

Castro ressalta que, caso o animal faça as necessidades no ambiente de trabalho, os donos são os responsáveis pela limpeza do local. 

Últimas