Economia ENTREVISTA-Direcional vê demanda ainda sólida no 2º tri, diz presidente

ENTREVISTA-Direcional vê demanda ainda sólida no 2º tri, diz presidente

CONSTRUCAO-DIRECIONAL-PERSPECTIVAS:ENTREVISTA-Direcional vê demanda ainda sólida no 2º tri, diz presidente

Reuters - Economia

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Direcional Engenharia, que tem foco no desenvolvimento de empreendimentos imobiliários populares e de médio padrão, deve registrar mais um trimestre com forte desempenho de vendas, após começar o ano com números recordes.

"A resiliência que a gente percebeu no primeiro trimestre tem se mantido no segundo trimestre, tanto no segmento do Casa Verde Amarela quanto no segmento de atuação da Riva", afirmou à Reuters o presidente-executivo da companhia, Ricardo Ribeiro.

O Casa Verde Amarela é o programa habitacional do governo federal que substituiu no começo deste ano o Minha Casa Minha Vida. A Riva é uma controlada da Direcional com foco em empreendimentos para o segmento de média renda.

"A gente tem percebido uma continuidade sim na demanda bem forte", disse Ribeiro.

De janeiro a março, as vendas líquidas da Direcional saltaram 73%, para 515 milhões de reais, no melhor resultado para um primeiro trimestre na histórica da empresa. As vendas da Riva dispararam 141%, respondendo por 24% do total do grupo.

Para o executivo, tal desempenho reflete uma demanda estoica do programa habitacional do governo, onde tem presença relevante, mas também ao ambiente de juros baixos no país, que se refletem em um custo mais acessível do crédito imobiliário.

Os prognósticos de uma alta da taxa básica de juros Selic neste ano, dado o ambiente de maior inflação no país, ainda não preocupam a companhia.

Ele estimou que se a taxa efetivamente chegar aos patamares estimados pelos economistas no mercado, na faixa de 6,5%, pode haver algum reflexo no custo do crédito imobiliário, mas não seria algo que possa atrapalhar o desempenho do segmento.

"Ainda é um ambiente que é bastante saudável para o setor imobiliário", afirmou, ressaltando que em termos reais essa taxa seria ainda menor, dando toda a condição de o setor apresentar um desempenho positivo.

O executivo ressaltou, porém, que é preciso acompanhar o comportamento da curva longa de juros diante dos aumentos da Selic, dado o prazo mais longo dos financiamentos imobiliários.

O Banco Central promoveu neste mês a terceira alta seguida de 0,75 ponto percentual da Selic, para 4,25%, e sinalizou sequência ao aperto monetário, com analistas vendo a chance de ele acelerar o rimo para 1 ponto percentual.

Até o momento, contudo, Ribeiro afirmou que a elevação recente da Selic não se materializou em um aumento relevante no custo do crédito imobiliário e que tem percebido um apetite muito grande dos bancos por esse tipo de financiamento.

"Por mais que possa haver um incremento, a gente não está vendo nesse momento um incremento super expressivo e continua tendo uma perspectiva positiva para esse segmento fora do Casa Verde e Amarela", disse, referindo-se à área de atuação da Riva.

No Casa Verde e Amarela, o crédito não está diretamente ligado à Selic ou às taxas de juros de longo prazo, mas a percentuais do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pré-determinados.

CUSTOS

Ribeiro também destacou o comportamento dos custos das matérias-primas como um segundo ponto de atenção, dado o forte aumento nos preços dos insumos para construção nos últimos 12 meses, embora a Direcional tenha conseguido repassar boa parte disso.

Em maio, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,80% em maio, mostrou a Fundação Getulio Vargas (FGV), com a alta em 12 meses chegando a 14,62%.

Nos projetos do Casa Verde e Amarela, segundo ele, a Direcional tem conseguido repassar parte do aumento de custo para preço, mas outra parte tem sido absorvida nas margens brutas da companhia. Na Riva, o repasse tem enfrentado menos obstáculos.

Dados do primeiro trimestre de 2021 referendam a premissa, uma vez que a margem bruta no período ficou em 35,7%, sem mudança na comparação ano a ano e praticamente estável em relação ao quarto trimestre de 2020 (35,9%).

No caso das operações da Riva, ele disse que a companhia tem conseguido repassar esse aumento de custos quase que integralmente para preço, sem perda nas velocidades de venda.

Ribeiro atrelou parte relevante desse aumento de custo a uma ruptura na cadeia de fornecimento - produção e logística - de diversos insumos diante da pandemia de Covid, avaliando que possa haver uma acomodação conforme a situação se normalize.

"Eu acredito que a perspectiva é positiva com relação à acomodação desse aumento de custo que a gente viveu nesses últimos meses", afirmou, não descartando um retrocesso nos preços de parte desses insumos conforme a situação volte ao normal.

O movimento recente na taxa de câmbio, com o dólar voltando a ser cotado abaixo de 5 reais, tende a ser mais um componente favorável para esse alívio, acrescentou, porque determinados itens importados teriam um preço mais competitivo no Brasil.

No Casa Verde e Amarela, o executivo afirmou que a Direcional tem lançado projetos dentro dos Grupos 2 e 3, para famílias com renda mensal entre 2 mil e 7 mil reais, uma vez que o aumento de custos tem tornado bem pouco atrativa a atuação dentro do Grupo 1, voltado para famílias com renda de até 2 mil reais.

Últimas