Equador anuncia saída da Opep a partir de 2020 por problemas fiscais

QUITO (Reuters) - O Equador decidiu deixar a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) a partir de 1º de janeiro de 2020, devido aos problemas fiscais que enfrenta, disse nesta terça-feira o Ministério de Energia equatoriano.

O país havia voltado a fazer parte do cartel em 2007, depois de ter se retirado da organização em 1992.

"A decisão está ligada aos assuntos e desafios internos que o país deve assumir, relacionados à sustentabilidade fiscal", afirmou em comunicado o Ministério de Energia e Recursos Naturais Não-Renováveis do país, sem fornecer mais detalhes.

"Essa medida se alinha ao plano do governo, de redução do gasto público e geração de novas receitas", acrescentou.

O ministério disse que continuará apoiando os esforços em busca da estabilização do mercado petrolífero mundial e as ações implementadas pelos países produtores.

O Equador, que está buscando incrementar sua produção de petróleo para obter maiores recursos, violou em várias ocasiões a cota de produção fixada pela Opep.

(Reportagem de Alexandra Valencia)