Economia Exportações superam importações em R$ 21,6 bilhões no mês de abril

Exportações superam importações em R$ 21,6 bilhões no mês de abril

Balança comercial brasileira apresentou o segundo melhor resultado da história para o mês, segundo dados do MDIC

balança comercial

Exportações somaram R$ 70,3 bilhões no mês passado

Exportações somaram R$ 70,3 bilhões no mês passado

Getty Images

A balança comercial brasileira registrou saldo positivo de R$ 21,68 bilhões (US$ 6,142 bilhões) em abril, de acordo com os dados divulgados pelo MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços).

O resultado foi o segundo melhor para o mês, só atrás do saldo positivo de R$ 24,5 bilhões (US$ 6,963 bilhões) de abril de 2017.

Em abril, as exportações somaram R$ 70,35 bilhões (US$ 19,932 bilhões) e as importações R$ 48,67 bilhões (US$ 13,790 bilhões). Os valores representam, respectivamente, queda de 3,4% e alta de 10,3% ante o mesmo período de 2017. 

No ano, o superávit da balança comercial soma R$ 70,91 bilhões (US$ 20,090 bilhões). Em 2017, o resultado nos quatro primeiros meses do ano foi positivo em R$ 75,41 bilhões (US$ 21,365 bilhões).

A previsão do governo para 2018 é que o saldo da balança comercial fique acima de R$ 176,5 bilhões (US$ 50 bilhões). Para o Banco Central, a projeção é de um superávit de R$ 197,6 bilhões (US$ 56 bilhões) neste ano.

Menos exportações

O diretor de estatísticas e apoio às exportações do MDIC, Herlon Brandão, explicou que a queda de 3,4% na média diária das exportações de abril em relação ao mesmo mês do ano passado foi causada, em parte, pela menor quantidade de dias úteis no mês.

"Além disso, a safra de soja está sendo escoada mais cedo este ano. Em abril do ano passado, foram embarcadas 10,4 milhões de toneladas, contra 10,26 milhões de toneladas no mês passado", destacou.

Brandão citou ainda a queda de 15% no preço do minério de ferro ante abril de 2017, mas ponderou que o preço do produto vem se recuperando ao longo dos últimos meses. "Há também queda na exportação de açúcar em bruto devido a aumento da oferta mundial e por isso há inclusive uma tendência de aumento da produção de etanol", completou.

Segundo ele, o embargo da União Europeia para a carne de frango brasileiro — anunciado na segunda quinzena de abril — não tem grande impacto sobre o resultado da balança comercial, porque os dez os frigoríficos atingidos venderam apenas US$ 84 milhões para o bloco no ano passado.

"O valor não é tão relevante para a balança, pois representa apenas 1,2% das vendas de frango do País. Em abril, as exportações de carne de frango para o bloco inclusive cresceram 213%, sendo 54,5% de aumento em volume", acrescentou.

Pelo lado das importações, Brandão afirmou que, em abril, continuou a trajetória de crescimento das compras do exterior, puxada pelo aquecimento da atividade econômica.

"Esperamos que as exportações cresçam menos que as importações neste ano. A safra de 2018 é menor e, além disso, a tendência é mesmo de uma acomodação das exportações ante a base elevada de 2017", explicou.

A despeito das medidas que os Estados Unidos devem tomar para sobretaxar ou impor cotas ao aço e alumínio brasileiros, o MDIC ainda não revisou a projeção para o superávit comercial deste ano. "Mantemos a previsão de saldo comercial na casa dos US$ 50 bilhões em 2018. Estamos analisando o cenário e poderemos fazer uma revisão, se necessária", concluiu.

    Access log