Coronavírus

Economia Falta planejamento para reabertura econômica, avalia presidente da CNI

Falta planejamento para reabertura econômica, avalia presidente da CNI

Robson Braga de Andrade afirma que imprevisibilidade é o fator que mais afeta os empresários do setor industrial

  • Economia | Do R7

'Precisamos saber como vamos reagir', disse Andrade

'Precisamos saber como vamos reagir', disse Andrade

Pedro Ladeira/Folhapress - 03. 07.2018

O presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Robson Braga de Andrade, afirmou nesta segunda-feira (25), durante a segunda edição da Live JR, que "falta planejamento" para a reabertura econômica do Brasil no período pós pandemia do novo coronavírus.

"Sabemos que a abertura não pode ser imediata no momento em que vivemos a pior crise da saúde mundial, mas precisamos saber como vai ser a retomada da economia, do trabalho e a maneira como esse planejamento será realizado", avaliou Andrade aos jornalistas Eduardo Ribeiro, Daniela Salerno e Luiz Fara Monteiro.

Leia mais: Pandemia faz produção industrial ter pior março desde 2002

De acordo com Andrade, a imprevisibilidade é o fator que mais causa aflige os empresários do setor industrial. "É claro que a pandemia é imprevisível, mas precisamos saber a maneira como vamos reagir quando ela começar a ceder", observa ele.

Para o presidente da CNI, alguns governadores estão "alguns pensando muito mais na questão política do que na questão da vida". "Nós temos que preocupar com a sobrevivência das empresas no futuro e não podemos perder o capital que o Brasil investiu por todos esses anos com muito sacrifício", explicou.

Andrade recordou eu os governos sempre foram muito importantes para a retomada da economia em crises passadas e disse que desta vez não será diferente. “O capital privado não tem recursos no Brasil para investir. Ele vai ter recursos apenas para a retomada do próprio negócio”, afirmou ele, que lamentou ainda a insegurança jurídica existente no Brasil.

Questionado sobre a fala do presidente Jair Bolsonaro sobre a necessidade dos empresários pressionarem os governadores, o presidente da CNI afirma que a pressão não deve ser na direção da reabertura econômica. "A abertura cabe às secretarias de saúde e ao Ministério da Saúde", disse Andrade, que voltou a defender um planejamento para a reabertura.

"Nós vamos ter que fazer a abertura, seja agora ou mais tarde. [...] Temos que pressionar para que se tenha um plano. Não podemos abrir em uma semana, fechar na semana seguinte e não saber o que vai acontecer na sequência.".

Fim do isolamento

Ao comentar sobre a melhor forma para o Brasil deixar o isolamento social, Andrade defende que o País seja analisado "por regiões". "Há lugares onde o número de infectados e de mortes ainda é pequeno", analisou.

Andrade cita como exemplo os Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde "há poucas contaminações" e vê uma "resposta muito positiva ao isolamento" em Minas Gerais. "Você pode também dividir um Estado em regiões e vai encontra locais com baixas contaminações", destacou ele.

Leia mais: Economia começa a preocupar os governadores, diz Bolsonaro

"Já encaminhamos propostas ao governo federal e todos os governadores vendo as experiências do mundo”, contou o presidente da CNI, citando exemplos de países da Ásia e da Europa.

Para Andrade, as propostas encaminhadas levam em conta quais fábricas podem trabalhar em quatro turnos e com funcionários isolados. Ele, no entanto, pondera que o maior problema em meio à pandemia está no caminho de ida para o trabalho e volta para casa".

As entrevistas da Live JR acontecem todas as segundas e quintas-feiras, sempre às 17h. O público poderá acompanhar ao vivo na Record News, pelo Portal R7 e pelas redes sociais do Grupo Record. Além disso, haverá exibição no Jornal da Record e no Fala Brasil.

Últimas