Minha aposentadoria

Economia Fila do INSS: edital abrirá 8.200 vagas temporárias para servidores

Fila do INSS: edital abrirá 8.200 vagas temporárias para servidores

As remunerações serão de R$ 2,1 mil e R$ 4,2 mil, e as oportunidades poderão ser disputadas por inativos civis e militares. Contratação será por até 2 anos 

Agência Estado
Servidores vão atuar no INSS e em duas secretarias

Servidores vão atuar no INSS e em duas secretarias

Bruno Rocha/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo - 10.07.2019

Os servidores aposentados que desejam ocupar uma das vagas temporárias que serão abertas pela força-tarefa do governo federal para reduzir a fila do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) têm alguns dias para se preparar para o processo seletivo.

Leia também: Fila do INSS: o que fazer para diminuir o tempo de espera?

A previsão é de que o edital seja lançado no dia 20 de  março e que a seleção seja concluída – e os contratos de trabalhos assinados – entre 13 e 17 de abril. 

A seleção será dividida entre concorrência ampla, para funções administrativas, e específica, para perícias médicas e análise dos processos.

Ao todo serão 7.400 vagas para o INSS e 820 para outros órgãos da Secretaria Especial de Previdência e da Secretaria de Gestão de Pessoas.

Leia também: Aposentado pode indicar em vida filho que receberá pensão por morte

As remunerações serão de R$ 2,1 mil e R$ 4,2 mil, e as vagas poderão ser disputadas por inativos civis e militares.

Vagas são para aposentado com carreira em seguro social

Os elegíveis são os que se aposentaram até 28 de fevereiro deste ano. Para a concorrência específica, não há limite de vagas, uma vez que os servidores serão remunerados por produtividade.

Apenas aposentados das carreiras do seguro social e de perito médico federal poderão concorrer. Cada processo analisado, independentemente da resposta, será remunerado em R$ 57,50. Cada perícia, por sua vez, será remunerada em R$ 61,72.

O cronograma foi divulgado nesta segunda-feira (2) pelo secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, em entrevista coletiva. Pela manhã, o DOU (Diário Oficial da União) trouxe a publicação da Medida Provisória nº 922/2020, que regulamenta a atividade.

Segundo Bianco, o governo pretendia editar a MP na última sexta-feira, 28, mas decidiu adiar para esta segunda para dar mais dias corridos aos parlamentares para apresentação de emendas.

Prazo de contratação é de 2 anos

O prazo de contratação é de no máximo dois anos. Para 2020, o governo prevê um gasto de R$ 160 milhões em nove meses, caso sejam preenchidas todas as vagas do edital.

"Não sabemos se haverá demanda para todas as vagas ofertadas", disse o secretário de Previdência do Ministério da Economia, Narlon Gutierre.

Leia também: Tire 29 dúvidas sobre a Reforma da Previdência e entenda as mudanças

Bianco afirmou que outros órgãos poderão lançar editais próprios para a contratação de temporários.

A secretária adjunta de Gestão e Desempenho de Pessoas, Flavia Goulart, alertou que qualquer ministério precisará ter prévia dotação orçamentária para recorrer ao instrumento.

Fila do INSS acumula 1,883 milhão de pedidos

O governo tem prometido pôr fim aos atrasos na análise de pedidos de benefícios em até seis meses a partir do início dos trabalhos.

Leia também: Governo vai começar a cobrar de bancos por oferta de consignado a segurados do INSS

Em 27 de fevereiro, a fila acumulava 1,883 milhão de pedidos, sendo 1,25 milhão atrasados (sem resposta há mais de 45 dias).

Últimas