Gastos de combate à covid-19 serão contidos em 2020, afirma secretário

Waldery Rodrigues disse que a discussão sobre próximas parcelas do auxílio está em andamento, mas afirma que programa será encerrado em 2020

Waldery quer ponte para "pouso suave" no Renda Brasil

Waldery quer ponte para "pouso suave" no Renda Brasil

Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo - 14.05.2019

O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, reforçou nesta sexta-feira (28) que a equipe econômica não trabalha com hipóteses de extensão das despesas extraordinárias, como o auxílio emergencial, para 2021. "As despesas de combate à covid-19 ficarão contidas em 2020", disse.

Segundo o secretário, a discussão sobre a prorrogação do auxílio emergencial ainda está em andamento, mas ele ressaltou que "um social robusto não pode prescindir de um fiscal sólido".

Nos últimos dias, o governo tem discutido qual será o valor da prorrogação do benefício de forma a criar uma ponte para um "pouso suave" no Renda Brasil, como é chamado o novo programa que será a marca social do governo Jair Bolsonaro e substituirá o Bolsa Família.

O presidente Jair Bolsonaro já disse que o auxílio será pago até o fim do ano. Em sua live semanal nesta quinta-feira (27), no entanto, ele afirmou que é "impossível" manter o pagamento do auxílio emergencial em 2021.