Economia Gol amplia oferta de assentos, mas estima prejuízo no 3º trimestre

Gol amplia oferta de assentos, mas estima prejuízo no 3º trimestre

Depois de expansão na venda de bilhetes em setembro, a empresa voltou a ampliar oferta de assentos em outubro

Reuters
Gol volta a ampliar oferta de assentos em outubro

Gol volta a ampliar oferta de assentos em outubro

J.F.Diorio/Estadão Conteúdo - 02/04/2020

A Gol voltou a ampliar oferta de assentos em outubro, após forte expansão de venda de bilhetes em setembro, mas estimou que deverá encerrar o terceiro trimestre com prejuízo e que continuará queimando caixa ao longo do quarto trimestre.

A companhia afirmou, em comunicado nesta sexta-feira, que ampliou a oferta no início deste mês para cerca de 400 voos diários, esperando terminar outubro com 500 voos diários, algo equivalente a 60% do que tinha um ano antes.

A empresa previu que terá consumo líquido de caixa de 2 milhões de reais por dia entre outubro e o fim de dezembro, após encerrar setembro com liquidez de aproximadamente 2,2 bilhões de reais. Incluindo outras fontes de recursos, a empresa afirma que tem cerca de 6 bilhões de reais em liquidez.

A expectativa para o resultado do terceiro trimestre é de prejuízo por ação de 3,2 reais ante perda de 1,23 por ação um ano antes. A empresa programou a divulgação do balanço do período para 30 de outubro.

Em setembro, a Gol afirmou que a receita bruta consolidada cresceu 65% sobre agosto, 474 milhões de reais. Em agosto, o valor foi de 293 milhões de reais. A empresa não divulgou o dado de julho ou do terceiro trimestre como um todo.

"Novamente, em setembro, a Gol observou crescimento saudável da demanda por viagens entre os brasileiros", disse em comunicado a investidores o presidente da Gol, Paulo Kakinoff. "Essa tendência deve persistir daqui para frente, uma vez que as buscas e vendas de passagens da Gol continuam crescendo", acrescentou.

A Gol estimou ainda que a margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) do terceiro trimestre deverá ficar entre 21% e 23% ante 31% um ano antes.

A companhia terminou o trimestre com uma alavancagem de cerca de 5 vezes, ante 2,9 vezes no terceiro trimestre de 2019, após amortizar cerca de 1 bilhão de reais em dívida no período.

Últimas