INSS

Economia Governo antecipa 13º do INSS para combater efeitos do coronavírus

Governo antecipa 13º do INSS para combater efeitos do coronavírus

Grupo liderado pelo Ministério da Economia também decidiu suspender a exigência de prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias

Reuters
Antecipação tem custo estimado de R$ 23 bilhões

Antecipação tem custo estimado de R$ 23 bilhões

Reuters - 17.01.1999

Um grupo interministerial criado pelo governo federal decidiu nesta quinta-feira (12) antecipar para abril o pagamento da primeira parcela do 13º salário aos aposentados e pensionistas do INSS como parte das medidas para conter os efeitos econômicos da epidemia do coronavírus.

O grupo liderado pelo Ministério da Economia, tem representantes das Secretarias Especiais e coordenado pelo secretário-executivo do ministério, Marcelo Guaranys.

Leia mais: Quem está ganhando dinheiro com a epidemia de coronavírus

"Neste momento crítico, mesmo diante do exíguo espaço fiscal, o ministério buscará, em conjunto com a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, a realocação ágil de recursos orçamentários para que não falte suporte ao sistema de saúde brasileiro", afirmou o ministério em nota.

Além da antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º aos beneficiários do INSS, num valor estimado em R$ 23 bilhões, o grupo também decidiu suspender a exigência de prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias e propôs reduzir o teto dos juros do empréstimo consignado para beneficiários do INSS e a ampliação do prazo máximo das operações.

Foi decidido ainda, junto com o Ministério da Saúde, a definição de uma lista de produtos médicos e hospitalares importados que terão preferência tarifária e a prioridade do desembaraço aduaneiro para esses produtos.

Últimas