Governo prevê economia de R$ 860 bi com novo texto da Previdência

Secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirma que projeções serão refinadas depois da aprovação em dois turnos no Senado

Marinho espera que não haja "desidratação" no texto

Marinho espera que não haja "desidratação" no texto

Charles Sholl/Brazil Photo Press/Folhapress

O texto da reforma da Previdência que irá à votação no plenário do Senado nesta terça-feira traz uma economia da ordem de R$ 850 bilhões a R$ 860 bilhões, afirmou o secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, ressaltando que as projeções só serão refinadas depois da aprovação em dois turnos.

"Expectativa é de que o texto mantenha-se sem nenhuma desidratação", afirmou Marinho no Senado.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou a aprovação pela Comissão de Constitutição e Justiça do Senado do parecer do relator Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre as emendas apresentadas ao texto, o que concluiu essa etapa de análise da proposta.

"Parabéns ao Senado, dou os parabéns aos senadores. Agradeço muito a votação na CCJ", disse Guedes a jornalistas ao deixar almoço com senadores de partidos do chamado centrão.

Ele lembrou que Estados e municípios devem ser incluídos na reforma na chamada PEC paralela.