tragédia brumadinho
Economia Governo tem que confiar no conselho da Vale, diz Onyx

Governo tem que confiar no conselho da Vale, diz Onyx

Presidente em exercício, Hamilton Mourão, havia dito ontem que estava estudando recomendação para troca dos executivos da mineradora

Vale

BNDESPar detém 6,7% das ações da Vale

BNDESPar detém 6,7% das ações da Vale

Adriano Machado/Reuters

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afastou a possibilidade de que o governo venha a pressionar a mineradora Vale para uma eventual troca da diretoria da empresa, após a tragédia em Brumadinho (MG).

A União, por meio do BNDESPar (BNDES Participações), tem 6,7% de participação na Vale, além das chamadas golden shares (ações preferenciais de classe especial). 

Em entrevista no começo da tarde desta terça-feira (29), Onyx admitiu que as golden shares da Vale "não permitem nenhuma interferência na gestão" da empresa. 

"O que o governo tem na Vale é oque se chama de golden share. Essa posição permite ao governo, por exemplo, manter a sede da empresa no Brasil. Agora, não permite nenhuma interferência na gestão. Essa uma decisão do conselho de administração."

O ministro ainda ressaltou que nas empresas em que o BNDESPar tem investimentos "o governo é apenas um acionista" e que "o papel do acionista é confiar no conselho de administração". 

Escritórios de advocacia dos EUA preparam ação contra a Vale

"Não cabe ao governo federal apoiar nenhuma diretoria que não seja da sua estrita responsabilidade. Cabe ao governo federal responder pela Petrobras, pelo Banco do Brasil..."

Para Onyx, "não seria uma sinalização desejável ao mercado" interferir de alguma forma em assuntos administrativos da Vale.

Na segunda-feira (28), o presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, chegou a dizer que o conselho de ministros montado para avaliar a situação de Brumadinho estudava recomendar o afastamento da atual diretoria da Vale

    Access log