Novo Coronavírus

Economia Guedes descarta segunda onda de covid-19 e reforça fim do auxílio

Guedes descarta segunda onda de covid-19 e reforça fim do auxílio

'As pessoas estão voltando ao trabalho', disse o ministro em participação por vídeo em fórum de economia nesta quarta-feira (16)

Reuters
Paulo Guedes admite que PIB poderia ser melhor

Paulo Guedes admite que PIB poderia ser melhor

20/10/2020 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, reforçou que a economia brasileira está sendo retomada com força e num formato em V, quadro que dá amparo ao fim do auxílio emergencial neste mês, descartando ainda que o país esteja sendo atingido por uma segunda onda de covid-19.

"De agora até o final do ano, 31 de dezembro, a ideia é que voltemos à situação ordinária, então até o fim do ano teremos encerrado essas camadas auxiliares que lançamos para preservar empregos, vidas e a economia", disse ele em inglês, em participação gravada para a Conferência de Montreal do International Economic Forum of the Americas que acontece nesta quarta-feira (16).

Toda a população brasileira deve ser imunizada entre 12 e 16 meses

"As pessoas estão voltando ao trabalho, a doença fez um retorno, mas não podemos falar em segunda onda", acrescentou ele, pontuando ainda que o governo está agora concentrado em prover vacinas à população.

Últimas