Há número crescente de restrições a exportações em resposta à covid-19, diz OMC

A Organização Mundial de Comércio (OMC) afirma que existe um crescente número de restrições a exportações, no âmbito da resposta dos países à pandemia de coronavírus. A entidade diz que produziu um relatório sobre o assunto a fim de chamar a atenção para a falta de transparência em nível multilateral e para os riscos de longo prazo que representam as restrições à exportação para as cadeias de suprimento globais e o bem-estar público.

A OMC destaca que as novas proibições e restrições de exportação abrangem em grande medida itens médicos, como máscaras, medicamentos, ventiladores e outros equipamentos. "Algumas das medidas estenderam os controles para outros produtos, como alimentos e papel higiênico", aponta.

Segundo a OMS, a resposta à pandemia exige de modo urgente aumentos consideráveis na produção global de itens médicos essenciais.

O comércio será essencial para que esses itens cheguem aos locais que necessitam, especialmente diante do fato de que o pico da pandemia ocorre em momentos diferentes em locais diferentes, destaca a entidade. "Porém a falta de cooperação internacional ameaça prejudicar a resposta urgentemente necessária na oferta" desses itens, adverte a OMC.