Novo Coronavírus

Economia Ibovespa acompanha Nova York e avança mais de 4%

Ibovespa acompanha Nova York e avança mais de 4%

Bolsa paulista engatava um terceiro pregão de alta, no início da tarde desta quinta-feira (26), acompanhando o viés positivo em Wall Street

  • Economia | Do R7, com Reuters

Desempenho é reflexo de medidas anunciadas pelo Senado norte-americano

Desempenho é reflexo de medidas anunciadas pelo Senado norte-americano

Amanda Perobelli/Reuters

A bolsa paulista engatava um terceiro pregão de alta nesta quinta-feira (26), com ações de companhias aéreas entre os maiores ganhos do Ibovespa, acompanhando o viés positivo em Wall Street, após o Senado norte-americano aprovar um pacote de 2 trilhões de dólares em estímulos econômicas em resposta à pandemia de coronavírus, responsável por causar a doença covid-19.

Às 12:22, o Ibovespa subia 4,11 %, a 78.032,63 pontos. O volume de negócios era de R$ 10,3 bilhões. Nesse cenário, o Ibovespa caminha para fechar a semana no azul e encerrar série de cinco semanas negativas em que acumulou perdas de cerca de 40%.

Nos EUA, o Senado aprovou projeto de lei de 2 trilhões de dólares para ajudar trabalhadores desempregados e indústrias afetadas pela epidemia do coronavírus, além de fornecer bilhões de dólares para equipamento médico necessário.

Em Nova York, o S&P 500 avançava 3,3%, mesmo após dados que mostraram que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego subiram para 3,28 milhões na última semana, ante 282 mil revisados ​​na semana anterior, apagando o recorde anterior de 695 mil estabelecido em 1982.

"O mercado deve continuar volátil, mas essas reações no curto prazo mostram que os investidores estão entendo que aquele risco sistêmico de uma grande recessão existe, mas está diminuindo", observou o analista de ações Thiago Salomão, da Rico Investimentos.

No Brasil, a cena corporativa também ocupa os holofotes, com balanços trimestrais e mais medidas a fim de atenuar o efeito da pandemia do Covid-19, enquanto, do lado macroeconômico, o Banco Central cortou para zero sua projeção para a variação do PIB em 2020.

Ainda na agenda, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do BC), sinalizador do PIB, por sua vez, cresceu 0,24% em janeiro na comparação com o mês anterior, segundo dados dessazonalizados.

Últimas