Ibovespa amplia queda e quase perde os 100 mil pontos

Queda de quase 2% do índice acionário é guiada pelas fortes perdas do Itaú Unibanco, que divulgou balanço com declínio de 40% no lucro do 2º trimestre

Às 15h05, o Ibovespa recuava aos 100.930,58 pontos

Às 15h05, o Ibovespa recuava aos 100.930,58 pontos

Rafael Matsunaga/Flickr/Abril de 2007

O Ibovespa aprofundou as perdas nesta terça-feira (4), quase perdendo o patamar dos 100 mil pontos no pior momento do dia, em meio ao declínio generalizado dos papéis, com Itaú Unibanco entre as maiores perdas após forte declínio no lucro trimestral e sinalizações conservadoras sobre inadimplência.

Às 15h05, o Ibovespa caía 1,78%, a 100.930,58 pontos. Na mínima, chegou a 100.004,50 pontos. O volume financeiro era de R$ 30 bilhões.

Agentes financeiros também atrelavam as vendas na bolsa a operações envolvendo as ações da Vale no começo do pregão. Os papéis da mineradora cediam 0,38%, a R$ 60,03.

Uma fonte disse que o banco de fomento vendeu cerca de 135 milhões de ações a R$ 60,26 por papel e levantou R$ 8,1 bilhões. "É muita grana para um dia só", afirmou o gestor Alfredo Menezes, da Armor Capital, em sua conta no Twitter. 

No caso de Itaú, após divulgar queda de 40% no lucro do segundo trimestre, o presidente executivo do banco afirmou ver a inadimplência no Brasil atingindo em 2021 níveis mais elevados do que em crises anteriores. Ele também disse que não vê o ROE do banco retornando ao patamar de 20%. As preferenciais do maior banco privado do país recuavam 5,76%.

Também no radar do setor bancário está a pauta do Senado, que deve votar na próxima quinta-feira polêmico projeto que limita juros de cartão de crédito e do cheque especial. No centro da discussão estão o tempo de vigência do teto e os critérios para que seja estabelecido.

Bradesco PN cedia 2,75%, Banco do Brasil ON recuava 3,03%, e Santander Brasil Unit mostrava declínio de 2,6%.

No exterior, Wall Street mostrava hesitação, contrabalançando aumento de tensão nas relações entre Estados Unidos e China envolvendo o aplicativo TikTok e expectativas de mais estímulos, em meio à temporada de balanços. O S&P 500 tinha variação positiva de 0,16%.