Ibovespa avança com exterior favorável; TIM sobe mais de 3% após balanço

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista mantinha viés positivo nesta quarta-feira, mais uma vez ajudada pela melhora da confiança nos mercados no exterior, com as ações da TIM entre as maiores altas do Ibovespa após lucro acima do esperado no último trimestre de 2019.

Às 11:48, o Ibovespa subia 0,61%, a 116.077,18 pontos. O volume financeiro somava 5,16 bilhões de reais.

A sessão também é marcada pelo vencimento dos contratos de opções sobre o Ibovespa e do índice futuro.

"Os investidores mostram maior apetite ao risco à medida que os números de novos casos de coronavírus na China continuam desacelerando", avaliou a equipe da Ágora Investimentos, em nota a clientes mais cedo.

A China registrou nesta quarta-feira o menor número de novos casos de coronavírus desde janeiro, totalizando 44.653 registros, enquanto 1.113 pessoas já morreram.

A Ágora também creditou o ambiente favorável nos mercados externos à leitura de que os juros nos Estados Unidos devem permanecer inalterados por mais algum tempo.

Em Wall Street, o S&P 500 mostrava acréscimo de 0,5% nos primeiros negócios.

Da cena brasileira, também repercutiam números sobre o varejo piores que o esperado, com queda de 0,1% no volume de vendas em dezembro ante novembro. Na comparação com dezembro de 2018, houve alta de 2,6%.

None

DESTAQUES

- TIM PARTICIPAÇÕES ON avançava 3,5%, após a operadora de telefonia reportar lucro líquido normalizado de 756 milhões de reais no quarto trimestre de 2019, acima da média das estimativas de analistas de 599,4 milhões de reais.

None

- CIELO ON subia 4,8% com a possibilidade de o Banco do Brasil vender negócios na área de cartões, na qual está inserida sua participação na Cielo, conforme reportagem do Valor Econômico.

None

- BANCO DO BRASIL ON, que divulga balanço na quinta-feira, tinha acréscimo de 0,08%. ITAÚ UNIBANCO PN valorizava-se 0,6%, enquanto BRADESCO PN perdia 0,4%.

None

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON tinham elevação de 1,2% cada, com alta dos preços do petróleo no mercado externo.

None

- VALE ON mostrava acréscimo de 2%, em sessão de alta de papéis de mineração e siderurgia na Europa, com o minério de ferro na China engatando nova valorização. CSN ON subia 4,5%.

None

- AMBEV ON caía 1,6%, tendo no radar resultado da rival Heineken, que disse que os volumes de cerveja cresceram 4,1% no quarto trimestre, com os aumentos mais fortes no Vietnã, Camboja e Brasil.