Economia Ibovespa avança mais de 2% e se reaproxima dos 105 mil pontos

Ibovespa avança mais de 2% e se reaproxima dos 105 mil pontos

Índice de referência do mercado acionário brasileiro acumulou elevação de 3,7% na semana e de 11,4% no mês

Reuters - Economia
Volume financeiro no pregão somou R$ 27,6 bilhões

Volume financeiro no pregão somou R$ 27,6 bilhões

Pixabay

O Ibovespa retomou o fôlego e fechou em alta de mais de 2% nesta sexta-feira (13), assegurando mais uma semana de ganhos e ampliando a performance positiva em novembro, com Wall Street respaldando compras em meio a uma bateria de resultados corporativos.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 2,1%, a 104.656,58 pontos, acumulando elevação de 3,7% na semana e de 11,4% no mês, de acordo com dados preliminares. No ano, ainda recua 9,5%. O volume financeiro no pregão somava R$ 27,6 bilhões.

Os pregões norte-americanos aceleraram os ganhos no final do pregão, o que fez o Ibovespa renovar máximas, embora não tenha conseguido superar os 105 mil pontos que ultrapassou ao longo da semana. O S&P 500 avançou 1,4%, segundo dado preliminar.

Profissionais da área de renda variável têm citado rotação de carteiras e entrada de estrangeiros no mercado secundário como fatores para o desempenho da bolsa paulista, com apostas positivas para uma vacina contra o covid-19 de pano de fundo.

Blue chips (ações mais negociadas) como Petrobras e Bradesco responderam pelas maiores contribuições positivas, mas alta de 6,84% em Notre Dame Intermédica ON, que divulga balanço na segunda-feira, também teve peso representativo.

Na ponta negativa, B3 caiu 0,4%, após balanço divulgado na noite de quinta-feira, enquanto Magazine Luiza cedeu 1,77%, reflexo de realização de lucros. Ações de shopping centers também chamaram a atenção entre as quedas.

Últimas