Economia Ibovespa sobe 1,5% após sessão marcada por altos e baixos

Ibovespa sobe 1,5% após sessão marcada por altos e baixos

Índice de referência do mercado acionário brasileiro alcançou os 78.835,82 pontos com altas da Vale e dos bancos

Reuters
Volume da sessão somou R$ 17,7 bilhões

Volume da sessão somou R$ 17,7 bilhões

Paulo Whitaker/Reuters

O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira (13), após trocar de sinal algumas vezes ao longo do pregão, com a alta de Vale entre os principais suportes, enquanto agentes financeiros contrabalançaram notícias relacionadas ao coronavírus e eventos no cenário político-econômico do Brasil.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,49%, a 78.835,82 pontos, na máxima da sessão. Mais cedo, porém, recuou até 76.405,36 pontos. O volume financeiro totalizou R$ 17,75 bilhões.

No Brasil, o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), afirmou nesta segunda-feira que a votação no Senado da chamada PEC do orçamento de guerra, que separa os gastos com a crise do coronavírus do Orçamento principal, foi adiada para quarta-feira.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), por sua vez, disse que trabalha para votar ainda nesta segunda-feira projeto de socorro aos Estados e municípios, o chamado "Mansueto light", para o enfrentamento da crise do coronavírus.

O analista Rafael Ribeiro, da Clear Corretora, também chamou a atenção para a declaração de Maia, de que irá excluir a ampliação dos empréstimos do plano de socorro aos Estados.

"Com a ajuda do governo para resolver a crise, as metas fiscais devem ser descumpridas e isso está gerando grande receio entre os investidores... Essa medida extra de ajuda aos Estados agravaria ainda mais a expectativa sobre o rombo das contas públicas", afirmou.

Destaques

• ITAÚ UNIBANCO PN avançou 2,13% e BRADESCO PN encerrou em alta de 2,59%, ajudando a dar suporte ao Ibovespa, enquanto BANCO DO BRASIL ON valorizou-se 1,99%. Na contramão, BTG PACTUAL UNI recuou 4,19%.

• VALE ON fechou em alta de 2,98%, tendo de pano de fundo expectativas de que medidas monetárias e fiscais, em decorrência da pandemia da covid-19, estimulem a demanda por minério de ferro.

• PETROBRAS ON subiu 2,61%, mesmo com o fechamento misto nos preços do petróleo no exterior, uma vez que o acordo entre grandes países produtores para um corte histórico de oferta ainda é visto como insuficiente para eliminar receios relacionadas à destruição de demanda causada pela pandemia de coronavírus. PETROBRAS PN ganhou 0,65%.

Últimas