Índice futuro mostra indefinição à espera de dados de emprego dos EUA

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O contrato futuro do Ibovespa mais curto não mostrava um viés claro nos primeiros negócios desta sexta-feira, enquanto agentes financeiros continuam atentos a desdobramentos relacionados à pandemia do Covid-19, em particular os efeitos nas economias.

Por volta de 09:20, o contrato do Ibovespa com vencimento em 15 de abril cedia 0,25%, a 72.060 pontos.

No exterior, índices acionários não mostravam uma direção única, em meio a dados econômicos mais fracos na zona do euro, onde a atividade empresarial entrou em colapso em março, e à espera de números do mercado de trabalho dos EUA.

A expectativa é que a folha de pagamento não agrícola norte-americana mostre um fechamento de vagas em março, encerrando um histórico de 113 meses seguidos de crescimento do emprego.

Na véspera, o Ibovespa fechou em alta de 1,81%, ajudado principalmente pela forte valorização das ações da Petrobras, na esteira da disparada do petróleo no mercado externo.