Índices da China tombam com mercados globais após EUA suspenderem viagens da Europa

HONG KONG/XANGAI (Reuters) - Os índices acionários da China tombaram junto com os mercados globais nesta quinta-feira diante do aprofundamento das preocupações cobre o impacto econômico do coronavírus depois que os Estados Unidos suspenderam viagens da Europa, embora as perdas não tenham sido tão pesadas como em outros mercados asiáticos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 1,92%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 1,52%. Ambos fecharam nos menores níveis desde 28 de fevereiro, perto da mínima de duas semanas.

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou uma suspensão temporária a viagens para a Europa, excluindo o Reino Unido, para conter a disseminação do vírus que agora foi declarado pandemia pela Organização Mundial de Saúde.

Trump anunciou outras medidas para sustentar as empresas norte-americanas e promover o crescimento, mas alguns investidores não se mostraram convencidos de que a economia global pode se recuperar rapidamente conforme crescem as preocupações de que o número de infecções pode aumentar rapidamente em todo o mundo.

"Os mercados estão muito nervosos. Estamos potencialmente olhando para uma recessão", disse Carlos Casanova, economista do Coface.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 4,41%, a 18.559 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 3,66%, a 24.309 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,52%, a 2.923 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,92%, a 3.950 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 3,87%, a 1.834 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 4,33%, a 10.422 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 3,77%, a 2.678 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 7,36%, a 5.304 pontos.

None

(Reportagem de Noah Sin)