Economia Indústria paulista fecha 13 mil postos de trabalho em junho

Indústria paulista fecha 13 mil postos de trabalho em junho

Os setores de veículos automotores, produtos alimentícios, confecção de artigos do vestuário e acessórios registraram mais demissões, diz Fiesp

Segmento de veículos automotores, reboque e carroceria registrou 2.260 demissões

Segmento de veículos automotores, reboque e carroceria registrou 2.260 demissões

Werther Santana / Estadão Conteúdo - 22.01.2018

Só no mês de junho a indústria da transformação paulista fechou 13 mil postos de trabalho, informa a Fiesp, entidade que congrega as empresas do setor. O resultado significa uma queda de 0,61% em relação a maio.

No entanto, mesmo com o fechamento das 13 mil postos no mês passado, a indústria contabilizou saldo positivo no primeiro semestre, com a abertura de 2,5 mil vagas, um aumento de 0,11% sobre o semestre anterior.

"A geração de emprego foi fraca no primeiro semestre, ficando abaixo das nossas expectativas. Esse resultado sinaliza que a indústria paulista deve ter fechamento líquido de vagas no ano de 2019", diz José Ricardo Roriz, 2º vice-presidente da Fiesp e do Ciesp.

Apesar de haver expectativa de um saldo negativo na geração de vagas para a indústria paulista este ano, Roriz destaca que a atividade econômica deve ganhar ritmo com o andamento das reformas e a diluição das incertezas.

Entre os setores acompanhados pela pesquisa, 77% apresentaram variações negativas, com quatro contratando, 17 demitindo e um permanecendo estável.

Os principais destaques negativos são o segmento de veículos automotores, reboque e carroceria, com 2.260 demissões; produtos alimentícios, com fechamento de 2.074 vagas; e confecção de artigos do vestuário e acessórios, com desligamento de 1.305 trabalhadores.

No campo positivo ficaram, principalmente, produtos diversos (318); bebidas (199), entre outros.