Inflação

Economia Inflação do aluguel fecha ano com alta de 17,78%, mostra FGV

Inflação do aluguel fecha ano com alta de 17,78%, mostra FGV

IGP-M veio bem acima do IPCA, índice que calcula a variação de preços oficial do país, que deve encerrar 2021 próximo de 10%

  • Economia | Do R7

Na pandemia, inflação do aluguel disparou

Na pandemia, inflação do aluguel disparou

Freepik

A chamada inflação do aluguel, calculada pelo IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado), da FGV (Fundação Getulio Vargas), fechou o ano de 2021 com a variação acumulada de 17,78%.

O percentual supera a inflação oficial do país, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), do IBGE, pouco acima de 10%, mas abaixo do IGP-M do ano passado, de 23,14%.

O índice normalmente utilizado para reajustar o valor de aluguéis pelo país fechou dezembro com elevação de 0,87%, depois de ter registrado uma variação positiva de apenas 0,02% no mês anterior.

O dado deste mês veio acima da expectativa dos especialistas de mercado, que esperavam queda em dezembro.

Segundo a FGV, a maior contribuição para o resultado foi do IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), que subiu 0,95% em dezembro.

O indicador representa 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado. No ano, o IPA acumula alta de 20,57%.

"O resultado deste mês foi influenciado pela aceleração dos preços de bovinos (11,69%), reflexo da demanda doméstica e da retomada das exportações, e pela aceleração dos preços de safras afetadas por geadas e seca, como café (12,52%) e cana-de-açúcar (2,83%)", disse em nota o coordenador dos índices de preços da FGV, André Braz.

Últimas