Inflação

Economia Inflação na 'porta de fábrica' é a maior da história no ano até julho

Inflação na 'porta de fábrica' é a maior da história no ano até julho

Variação de 1,94% nos preços apurada em julho faz indicador já superar alta registrada ao longo de todo ano de 2020, mostra IBGE

  • Economia | Do R7

Inflação da indústria acumula alta de 35% em 12 meses

Inflação da indústria acumula alta de 35% em 12 meses

Ueslei Marcelino/Reuters - 21.03.2017

Os preços dos bens industriais saltaram 1,94% na passagem de junho para julho e atingiu 21,39% no acumulado dos sete primeiros meses do ano, recorde em toda a série histórica para o período.

Com o resultado divulgado nesta sexta-feira (27), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a variação do índice já supera o valor acumulado em todo o ano de 2020 (19,38%).

Já o acumulado em 12 meses do Índice de Preços ao Produtor (35,08%) está entre os quatro maiores da série, iniciada em dezembro de 2014. Em julho de 2020, a alta foi de 3,22%.

A pesquisa mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. Entre os segmentos, 20 tiveram variações positivas em julho. A maior influência no índice veio de alimentos, refino de petróleo e produtos de álcool, indústrias extrativas e metalurgia.

De acordo com o analista do índice, Felipe Câmara, o indicador de julho é muito influenciado pelas condições do comércio internacional devido às altas acumuladas e correntes das commodities minerais, agropecuárias e do petróleo, com impacto nos preços de venda e na estrutura de custos das atividades de maior influência no mês.

"Um inverno mais rigoroso em 2021 e a entressafra de insumos importantes à fabricação de alimentos também contribuíram para deteriorar as condições de oferta de matéria-prima, pressionando as margens do produtor industrial desse setor”, aponta ele.

Últimas