Economia Inflação na zona do euro desacelera em fevereiro após coronavírus pressionar preços de energia

Inflação na zona do euro desacelera em fevereiro após coronavírus pressionar preços de energia

Reuters

BRUXELAS (Reuters) - Os preços ao consumidor na zona do euro aumentaram mais lentamente em fevereiro do que em janeiro, como esperado, mostraram nesta terça-feira dados da agência de estatísticas da União Europeia, uma vez que o surto de coronavírus no mundo pressionou os preços do petróleo.

A Eurostat estimou que os preços ao consumidor subiram 1,2% em fevereiro sobre o ano anterior, contra alta de 1,4% em janeiro, em linha com expectativa em pesquisa da Reuters.

A alta mais fraca deveu-se principalmente à queda de 0,3% nos preços de energia na base anual. Sem isso, e excluindo os voláteis preços dos alimentos não processados, a inflação acelerou a 1,4% de 1,3% em janeiro sobre o ano anterior.

Separadamente, a Eurostat disse que os preços nos portões das fábricas, que indicam tendências para os preços ao consumidor, subiram 0,4% em janeiro sobre o mês anterior e tiveram queda de 0,5% na base anual, como esperado por economistas consultados pela Reuters.

A Eurostat também disse que a taxa de desemprego foi de 7,4% em janeiro como esperado, mesma taxa de dezembro e ante 7,8% em janeiro de 2019 --taxa mais baixa desde maio de 2008.

(Reportagem de Jan Strupczewski)

Últimas