Economia Inflação oficial tem maior taxa para outubro desde 2015, diz IBGE

Inflação oficial tem maior taxa para outubro desde 2015, diz IBGE

Resultado foi impulsionado pelos preços de alimento, bebidas e transportes. Tomate registrou alta de 51,27% e batata subiu 13% no mês

Inflação oficial

Alimentos pressionaram inflação oficial do mês

Alimentos pressionaram inflação oficial do mês

Pexels

A inflação oficial registrou a maior taxa para o mês de outubro desde 2015, segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado nesta quarta-feira (7) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O indicador registrou 0,45% no mês. 

Em outubro de 2017, a inflação oficial marcou 0,42%, enquanto a taxa foi de 0,26% no mesmo mês de 2016. Em 2015, a taxa havia registrado 0,82%.

Leia mais: alimentos voltam a pesar no bolso do brasileiro

Segundo o IBGE, os grupos alimentação e bebidas (0,59%) e transportes (0,92%) foram os maiores responsáveis pelo resultado de outubro. 

Os alimentos que pesaram mais no bolso dos brasileiros no mês foram o tomate (51,27%), a batata-inglesa (13,67%), o frango inteiro (1,95%) e as carnes (0,57%). Já no setor de transportes, a inflação foi impulsionada pelos preços do etanol (4,07%), óleo diesel (2,45%), gasolina (2,18%) e o gás veicular (0,06%).

Outro vilão dos preços em outubro foi a energia elétrica, computada dentro do grupo habitação. Em São Paulo, uma das concessionárias aumentou a tarifa em 15,23% em 23 de outubro. Já em Brasília, o serviço aumentou 6,18% e, em Goiânia, 15,56% em outubro.

De janeiro a outubro deste ano, a inflação acumula alta de 3,81%, enquanto que o acumulado de 12 meses ficou em 4,56%. 

O IPCA abrange famílias com rendas entre um (R$ 954) e 40 salários mínimos (R$ 38.160), de áreas urbans de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e dos municípios de Goiânia e Campo Grande.

Arte/ R7 - 07.11.2018
    Access log