Minha Aposentadoria

Economia INSS começa a pagar aposentadoria acima do piso com 5,45% de reajuste

INSS começa a pagar aposentadoria acima do piso com 5,45% de reajuste

O benefício teve correção da inflação, maior que a registrada pelo piso, com 5,26% de reajuste, passando para R$ 1.100 este ano

André Melo Andrade/ Myphoto Press/ Estadão Conteúdo - 25.09.2020

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começou nesta segunda-feira (1º) o calendário de pagamentos de 2021 para os aposentados e pensionistas que recebem acima de um salário mínimo. O reajuste para esses benefícios foi de 5,45%, enquanto que o piso teve 5,26% de aumento, passando para R$ 1.100 este ano. 

Leia também: INSS reduz fila, mas inicia ano com 1,7 milhão de pedidos em análise

Isso ocorre porque o reajuste do piso foi definido no final de dezembro, com a projeção da inflação de 2020, antes de sair o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que serve como base para este cálculo, divulgado em 12 de janeiro pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em 2020, o governo acabou corrigindo a diferença, mas neste ano, segundo o Ministério da Economia, não há previsão de arredondamento do valor do salário mínimo. 

Com o reajuste, o teto do INSS – valor máximo das aposentadorias pagas pela Previdência Social – passou para R$ 6.433,57.

Cerca de 35 milhões de segurados vão receber o primeiro pagamento deste ano até o dia 5 de fevereiro. Quem recebe até o piso já teve o benefício pago entre os dias 25 e 29 de janeiro. Para quem recebe acima, o pagamento vai de 1º a 5 de fevereiro. Segundo o INSS, os depósitos seguirão a mesma sequência de anos anteriores.

A orientação do INSS é que os segurados fiquem atentos: a data de depósito dos benefícios depende do número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço, para aqueles que foram concedidos recentemente ou a data que já habitualmente recebia para aqueles que possuem seu benefício há algum tempo.

Veja o calendário de pagamento:

Reprodução/INSS

Últimas