Isolamento é norma de segurança nos salões de beleza

Divisórias de acrílico e reforço na utilização de itens como as máscaras fazem parte do regulamento entre cabeleireiros e manicures

Medidas de proteção e segurança estão no foco do atendimento

Medidas de proteção e segurança estão no foco do atendimento

Reprodução

Delimitar os espaços está virando rotina nos estabelecimentos comerciais que, aos poucos, retomam suas atividades. Isso vale também para os salões de cabeleireiros, em geral locais com áreas de livre circulação. As cadeiras lado a lado, porém, ganham nova configuração diante da pandemia e isolamento com divisórias de acrílico entre elas. Formas de evitar o contato entre clientes e, consequentemente, o risco de contágio.

Os cuidados com a limpeza do ambiente estão ainda mais rígidos. Na entrada, solas dos sapatos são higienizadas e desinfetadas, enquanto um funcionário mede a temperatura dos potenciais clientes. Se estiver acima da média indicando febre, a entrada é proibida. A equipe recebe a clientela de touca, luvas e duas máscaras para evitar a contaminação.

Até mesmo nos lavatórios, as regras de distanciamento são observadas e executadas à risca. Todos os objetos são constantemente higienizados e esterilizados, conforme mandam as boas práticas sanitárias adaptadas ao novo cenário de flexibilização e reabertura dos comércios.

As medidas de segurança aplicadas visam o bem-estar e a saúde, não somente dos clientes, mas de funcionários e terceiros que eventualmente necessitem circular pelos ambientes do salão de beleza.