Economia Johnson diz que ainda há problemas quanto ao Brexit, mas que Reino Unido irá prosperar mesmo sem acordo

Johnson diz que ainda há problemas quanto ao Brexit, mas que Reino Unido irá prosperar mesmo sem acordo

MACRO-BREXIT-REINOUNIDO-UE:Johnson diz que ainda há problemas quanto ao Brexit, mas que Reino Unido irá prosperar mesmo sem acordo

Reuters - Economia

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou nesta segunda-feira que ainda há problemas nas negociações do acordo do Brexit e que o Reino Unido vai prosperar mesmo sem um acordo.

"A posição não mudou: há problemas", disse Johnson a repórteres quando questionado se haveria um acordo comercial. "É vital que todos entendam que o Reino Unido deve ser capaz de controlar completamente suas próprias leis e também que devemos ser capazes de controlar nossa própria pesca."

"Os termos da OMC (Organização Mundial do Comércio) seriam mais do que satisfatórios para o Reino Unido. E certamente podemos lidar com quaisquer dificuldades que surgirem em nosso caminho. Não que não queiramos um acordo, mas que os termos da OMC seriam inteiramente satisfatórios", disse ele.

A menos que Johnson possa alcançar um acordo comercial com a União Europeia (UE) nos próximos dez dias, o Reino Unido deixará informalmente o bloco às 23h (de Londres) de 31 de dezembro sem um entendimento.

Johnson disse que falou com o presidente francês, Emmanuel Macron, que completou 47 anos nesta segunda, sobre questões fronteiriças, mas não sobre o Brexit.

"A propósito, é aniversário dele, mas prometemos não inserir o Brexit porque essa negociação está sendo conduzida, como vocês sabem, por meio da Comissão Europeia, e isso é bastante apropriado", disse Johnson.

Um acordo comercial do Brexit garantiria que o comércio de mercadorias --que representa metade do comércio anual entre União Europeia e Reino Unido, no valor de quase 1 trilhão de dólares ao todo-- permanecesse livre de tarifas e cotas.

O Reino Unido afirma que as negociações estão travadas em duas questões --as chamadas condições de igualdade e pesca-- e tem reiteradamente afirmado que a UE tem de ceder ou não haverá acordo.

(Por Guy Faulconbridge)

Últimas