Junto com outros bancos públicos, BNDES vai aportar 30% da Conta-Covid

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou que vai aportar, junto com outros bancos públicos, 30% dos recursos da chamada Conta-Covid, financiamento emergencial destinado ao setor elétrico em meio à pandemia do novo coronavírus. A informação foi antecipada pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, antecipou a informação nesta quarta, 1º.

O total a ser liberado para as distribuidoras é de até R$ 16,4 bilhões, e os outros 70% serão fornecidos por bancos privados. O empréstimo terá custo de CDI + 2,9% ao ano, com 11 meses de carência e prazo de 54 meses para amortização. As distribuidoras de energia elétrica devem se manifestar até a próxima sexta-feira. A previsão é que os recursos sejam liberados no final do mês.

A Conta-Covid, regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no dia 23 de junho, é uma operação de mercado, sem recursos do Tesouro Nacional, e foi estruturada sob a forma de empréstimo sindicalizado de bancos, lastreada por ativos tarifários. O processo contou com o apoio dos ministérios de Minas e Energia e da Economia (ME).