Finanças Pessoais
Economia Juros do cartão e do cheque especial ficam mais caros em junho, diz BC

Juros do cartão e do cheque especial ficam mais caros em junho, diz BC

Em contrapartida, o crédito consignado ficou mais barato, com taxa de 22,8% ao ano, menor valor desde o começo de janeiro

Juros

Dados foram divulgados pelo Banco Central

Dados foram divulgados pelo Banco Central

Thiago Teixeira/Estadão Conteúdo

As taxas de juros do cartão de crédito e do cheque especial ficaram mais caras em junho deste ano, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (26) pelo BC (Banco Central). 

O cartão de crédito registrou taxa de 300,1% ao ano, enquanto o cheque especial ficou em 322,2% ao ano. Ambas estão entre as modalidades de crédito mais caras do mercado financeiro. 

Cartão de crédito

A taxa em junho ficou de 300,1% ao ano, frente a 299,8% ao ano em maio. Isto significa que uma dívida de R$ 1.000 se torna R$ 4.001 ao final de 12 meses. 

Cheque especial 

O cheque especial também ficou mais caro para os brasileiros em junho. A taxa ficou em 322,2% ao ano frente a 320,9% no mês anterior. 

Na prática, a mesma dívida de R$ 1.000 é transformada em R$ 4.222. 

Crédito consignado

Esta é uma das modalidades de crédito mais baratas para o consumidor que precisa de um empréstimo. Em junho, a taxa de juros do consignado ficou em 22,8% ao ano, o menor resultado para 2019. Desde janeiro, as taxas do consignado estão caindo. 

Quando o consumidor opta por este tipo de crédito, o valor do empréstimo é debitado direto da folga de pagamento do salário ou aposentadoria.

Neste caso, a mesma dívida de R$ 1.000 passa a ser de R$ 1.228 ao final de um ano.