Maia fala em R$ 500 por mês para trabalhadores informais

Valor defendido pelo presidente da Câmara dos Deputados é superior aos R$ 300 propostos pela equipe econômica do governo federal

Rodrigo Maia fala sobre medidas contra o coronavírus

Câmara vai votar projeto sobre renda para vulneráveis

Câmara vai votar projeto sobre renda para vulneráveis

MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta quinta-feira (26), que o valor de R$ 300 por mês apresentado pelo governo Bolsonaro para trabalhadores informais durante a crise do coronavírus é insuficiente.

Em entrevista coletiva, nesta tarde, Maia defendeu um patamar de R$ 500 aos informais, autônomos e vulneráveis.

"Se precisamos garantir o isolamento das famílias, temos que dar a previsibilidade e a renda, para que essas pessoas possam passar os próximos 30 dias. Precisa garantir recursos. O que a gente tem entendido é que a proposta que o governo fez, que amplia até mais do que os R$ 200, é muito pequena para que a população precisa."

Para ele, é preciso "gerar as condições mínimas para que os brasileiros possam manter as determinações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e dos governadores", que indicam o distanciamento social como medida mais eficaz para conter o avanço da pandemia de covid-19 no país.

O tema será discutido nas próximas sessões da Câmara. Maia disse ainda que está "focado no projeto que garante recursos para os brasileiros informais e vulneráveis".

"Nós não temos 15 dias para isso, temos alguns dias", afirmou o deputado ao cobrar agilidade do governo no envio de um pacote para o enferntamento da crise.