Economia Mansueto descarta risco de calote em pagamentos dos títulos públicos

Mansueto descarta risco de calote em pagamentos dos títulos públicos

Secretário do Tesouro Nacional garante que investimento mais seguro do Brasil é aquele que tem a garantia do governo

Reuters
Mansueto disse não ver risco de calote do Tesouro

Mansueto disse não ver risco de calote do Tesouro

Divulgação/TCU - 31/10/2017

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, descartou nesta quarta-feira (24) risco de um calote da dívida pública brasileira, ressaltando que o investimento mais seguro no país é justamente o que tem a garantia do Tesouro.

"Eu não vejo risco disso porque a dívida do Tesouro tem uma garantia tão grande que, na verdade, a gente garante a dívida de outros Estados brasileiros, dos município brasileiros, e garante a dívida de várias empresas estatais", afirmou Mansueto ao ser questionado sobre o risco de investidores em títulos públicos sofrerem calote.

Leia mais: Conheça 3 investimentos para iniciantes na Bolsa de Valores

"Muitos investidores de fora só emprestam para um Estado, no Brasil, só emprestam para um estatal, se tiver a garantia do Tesouro. Então eu diria que o investimento mais seguro neste país é o que está a garantia do Tesouro", complementou em live promovida pelo canal de finanças pessoais Me Poupe!.

Discorrendo sobre a dificuldade de obtenção de crédito pelas pequenas e médias empresas, Mansueto disse que a tendência natural das instituições financeiras em um cenário de crise econômica é retrair a concessão do crédito, diante de dúvidas quanto à viabilidade dos negócios afetados pela pandemia do novo coronavírus. Ele citou os programas já lançados pelo governo para tentar estimular os financiamentos.

"Ele [governo] começou com uma linha para financiar o pagamento de salário, não funcionou muito bem. Essa linha está sendo modificada. Depois veio um novo programa para empresas com faturamento de até R$ 3 milhões por ano, que é o Pronampe. Agora, vem um terceiro programa, via BNDES, e eventualmente vai ter um quarto programa", relatou.

Últimas