Materiais mais caros puxam alta do preço para construir em outubro, diz FGV

Preço de Materiais, Equipamentos e Serviços subiram 0,43%; Mão de Obra permaneceu estável

Todos os itens de Materiais ficaram mais caros no período
Todos os itens de Materiais ficaram mais caros no período Getty Images

O preço para construir no Brasil subiu 0,2% na passagem de setembro para outubro. O resultado, divulgado nesta terça-feira (28), pela FGV (Fundação Getulio Vargas), foi puxado pela alta dos itens componentes do grupo de Materiais, Equipamentos e Serviços, que subiram 0,43% no período.

O INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado) de outubro mostrou ainda que os preços referentes à Mão de Obra não registraram variação pelo segundo mês seguido.

Entre os Materiais, se destacaram a aceleração dos valores correspondentes a materiais para estrutura (de 0,2% para 0,31%), materiais para instalação (de 0,38% para 0,78%) e materiais para acabamento (de 0,46% para 0,73%).

O valor referente aos equipamentos para transporte de pessoas desacelerou a alta entre os meses de setembro e outubro (de 1,07% para 0,86%).

Leia mais sobre Economia e ajuste suas contas

Campanha visa reduzir número de acidentes envolvendo fios elétricos no Brasil. Confira no vídeo abaixo:

Quer fazer compras online? Use o R7 Ofertas

A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,22%, em setembro, para 0,05%, em outubro. Neste grupo, vale destacar a desaceleração dos preços do subgrupo de projetos, cuja variação passou de 0,45% para 0,01%.

Entre as capitais, cinco delas apresentaram aceleração em suas taxas de variação: Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Por outro lado, Salvador e Belo Horizonte registraram desaceleração no período.

O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 de setembro e 20 de mês de outubro.

Seja bombardead@ de boas notícias. R7 Torpedos

Moda, esportes, política, TV: as notícias mais quentes do dia