Meta do PIB da China segue no caminho certo apesar de impacto de vírus, diz economista do governo

PEQUIM (Reuters) - A China será capaz de atingir sua meta de longo prazo de dobrar o Produto Interno Bruto e a renda este ano apesar do impacto do surto de conoravírus, disse nesta quarta-feira um economista influente de um dos principais institutos de pesquisa do governo.

O surto de vírus terá apenas um impacto momentâneo na economia e a demanda se recuperará rapidamente, disse Cai Fang, vice-chefe da Academia Chinesa de Ciências Sociais, em um artigo no People's Daily, o jornal do Partido Comunista Chinês.

"Embora o impacto temporário causado pela epidemia vá reduzir levemente a taxa de crescimento e outros indicadores de desenvolvimento, isso não atrasará o cumprimento da meta de construir uma sociedade moderadamente próspera", disse Cai.

Este ano é crucial para o Partido Comunista cumprir sua meta de dobrar o Produto Interno Bruto (PIB) e a renda na década até 2020.

Uma taxa de crescimento de cerca de 5,7% este ano será suficiente para atingir a meta de dobrar o PIB e a renda, disse Cai.

Analistas acreditam que o crescimento possa desacelerar acentuadamente em 2 pontos percentuais ou mais em relação a uma expansão de 6% no último trimestre, mas dizem que a atividade empresarial e dos consumidores poderá se recuperar drasticamente se o surto atingir seu pico em breve, de forma semelhante ao padrão visto na epidemia de Sars em 2003.

O governo deve usar as ferramentas de política monetária de maneira oportuna e flexível e adotar "ferramentas de política não convencionais" para sustentar a economia, disse Cai, sem dar detalhes.

O governo chinês adotou algumas medidas de estímulo, incluindo a injeção de liquidez no sistema bancário, o fornecimento de reempréstimos e apoio fiscal a algumas empresas, e mais medidas são esperadas.