Economia Minério de ferro amplia perdas com pessimismo sobre demanda da China

Minério de ferro amplia perdas com pessimismo sobre demanda da China

MINERACAO-PERDAS:Minério de ferro amplia perdas com pessimismo sobre demanda da China

Reuters - Economia

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - O preço do minério de ferro em Dalian, na China, caiu pela segunda sessão consecutiva nesta quinta-feira, em meio ao pessimismo sobre a perspectiva de demanda chinesa, com Pequim se tornando mais agressiva do que o esperado ao impor controles de produção de aço no primeiro trimestre de 2022.

O governo, buscando conter a produção de aço para garantir ar limpo, determinou que as usinas em mais cidades no norte da China reduzam produção de 15 de novembro a 15 de março.

Isso pesou em um mercado já nervoso com os temores em relação ao setor imobiliário da China após a crise do Evergrande Group e um agravamento da crise energética.

O minério de ferro mais negociado de janeiro na Bolsa de Commodities de Dalian fechou em queda de 2,9%, a 736 iuanes (114,37 dólares) a tonelada, após atingir 712 iuanes no início da sessão, seu nível mais fraco desde 30 de setembro.

Na Bolsa de Cingapura, o ingrediente siderúrgico subia 2,4% para 124,10 dólares a tonelada às 4h06 (horário de Brasília), depois de dois dias de queda.

A meta de redução da produção de aço da China no primeiro trimestre de 2022, quando os Jogos Olímpicos de Inverno estão programados para ocorrer em Pequim e na província vizinha de Hebei, foi "mais agressiva do que as expectativas do mercado", disseram analistas do Citi.

O minério de ferro spot na China foi negociado a 126,50 dólares a tonelada na quarta-feira, 46% abaixo de seu pico recorde em meados de maio, com base nos dados da consultoria SteelHome. SH-CCN-IRNOR62

O carvão metalúrgico em Dalian caiu 0,2% e o coque ganhou 1,1%.

O vergalhão de aço para construção na Bolsa de Futuros de Xangai caiu 0,2%, enquanto a bobina a quente subiu 0,3%. O aço inoxidável avançou 0,4%.

Últimas