Minério de ferro na China desaba 6% com novas medidas contra coronavírus pelo mundo

Por Enrico Dela Cruz

MANILA (Reuters) - Os preços do minério de ferro na bolsa chinesa de Dalian desabaram 6% nesta segunda-feira, o limite de baixa, após o anúncio de medidas mais restritivas pelo mundo para conter a pandemia de coronavírus ter piorado as expectativas econômicas globais.

A rápida propagação do vírus levou a uma nova onda de declarações de quarentena e fechamento de empresas ao redor do mundo, atrapalhando as perspectivas de uma recuperação econômica na China, principal produtora e exportadora global de aço, onde o número de novas infecções tem caído.

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian, para maio, fechou a 629 iuanes por tonelada (88,41 dólares), no limite diário de baixa e menor nível desde 9 de março. Os futuros na bolsa de Cingapura caíam 5,6% à tarde.

"A veloz disseminação do coronavírus nas últimas duas semanas, os amplos fechamentos de negócios e medidas sem precedentes de restrição à interação social resultarão em um impacto permanente sobre a atividade econômica neste ano", disse a Moody's Investors Service em nota.

Embora o menor número de novas infecções na China vá permitir uma normalização da atividade econômica no segundo trimestre, a Moody's disse que o processo deve ser lento porque muitas restrições à interação social no país seguirão em vigor para prevenir uma retomada da epidemia.

Os futuros do aço na China também caíram apesar de sinais de uma melhoria na demanda local, com os estoques domésticos de produto de aço tendo recuado 4,8% em base semanal, para 37,05 milhões de toneladas na quinta-feira, segundo dados da consultoria Mysteel, que apontam a primeira queda desde 19 de dezembro.

O vergalhão de aço na bolsa de Xangai fechou em queda de 3%.

None

(Por Luciano Costa)