Minério de ferro na China tem máxima de 3 semanas com redução em casos de coronavírus

Por Enrico Dela Cruz

MANILA (Reuters) - Os futuros do minério de ferro na China tocaram máxima de três semanas nesta quarta-feira, à medida que o número de novos casos de coronavírus no país continuou a cair e após a mineradora brasileira Vale ter informado queda significativa na produção da commodity no quarto trimestre.

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de Dalian chegou a subir 3,6%, para 622 iuanes (89,30 dólares) por tonelada, maior nível desde 23 de janeiro, antes de encerrar a sessão com ganhos de 3,2%.

Na bolsa de Cingapura, os futuros do minério de ferro subiam 1,8% durante a tarde.

Os preços spot do minério também subiram para máximas de três semanas, com o minério de referência, com teor de 62% e entrega na China, fechando a 85 dólares por tonelada na terça-feira, em meio à gradual reabertura de fábricas, segundo dados da SteelHome.

"Não há mudanças significativas nos fundamentos, mas as coisas estão melhorando em termos de demanda devido à retomada dos negócios", disse o analista da consultoria CRU em Pequim, Richard Lu.

A Vale reportou uma queda de 22,4% na produção de minério de ferro no quarto trimestre em comparação anual, o que voltou a levantar alguma preocupação sobre a oferta para a China, principal produtora de aço.

No aço, o contrato do vergalhão na bolsa de Xangai fechou em alta de 0,3%.