Novo Coronavírus

Economia Ministério Público pede revisão das medidas de reabertura no DF

Ministério Público pede revisão das medidas de reabertura no DF

Órgão pede que o governo local tome atitudes para garantir que pelo menos, 60% da população permaneça em isolamento social

  • Economia | Do R7

MPF cobra que não sejam liberados serviços não essenciais

MPF cobra que não sejam liberados serviços não essenciais

Marcello Casal Jr/Agência Brasil - 20.4.2020

O Ministério Público Federal, em conjunto com o MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios) e o MPT (Ministério Público do Trabalho), solicitou nesta quarta-feira (17) a revisão das medidas de flexibilização da quarentena no Distrito Federal.

Os órgãos cobram a concessão de uma decisão liminar (provisória) no prazo de 48 horas para que sejam implementadas medidas que garantam, pelo menos, 60% da população em isolamento social.

Leia mais: Academias pedem reabertura após demitirem 4.400 no DF

A solicitação pede ainda que não sejam promovidas novas liberações de serviços não-essenciais, tais como shopping centers e outros centros comerciais. As medidas de flexibilização no DF começaram no dia 15 de maio. 

De acordo com o MPF, inspeções nos parques e shoppings reabertos apontaram para situações “preocupantes” nos locais. “Em todos eles, foram observados usuários e funcionários utilizando de forma incorreta as máscaras de proteção. Na realidade, em alguns casos, as máscaras sequer eram utilizadas”, observa o documento.

O Ministério Público pede ainda que o governo do DF apresente, em cinco dias, uma matriz de risco referencial para que exista uma cooperação técnica e financeira a todos os entes da federação. A medida visa que os governos locais sejam ajudados a avaliar as possibilidades e oportunidades de flexibilização do distanciamento a partir do documento.

Últimas