Para BCE, economia da zona do euro começará a se recuperar no 2º semestre

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, disse nesta quinta-feira, 16, que a economia da zona do euro começará a se recuperar no segundo semestre deste ano, após o violento choque da pandemia de coronavírus. Em coletiva de imprensa virtual que se seguiu à decisão mais cedo do BCE de manter sua política monetária inalterada, Lagarde reiterou, contudo, que as perspectivas da retomada econômica são incertas e que a duração da crise dependerá de ações para conter a disseminação da covid-19.

Lagarde disse também que a fraqueza da economia global vem contendo a demanda externa por produtos da zona do euro e prometeu que o BCE continuará fornecendo liquidez por meio de operações de refinanciamento.

Ela previu ainda que a inflação da zona do euro vai continuar desacelerando nos próximos meses, antes de voltar a ganhar força no início de 2021.

Impacto na demanda por empréstimos

A presidente do BCE disse também que a crise do coronavírus está tendo forte impacto na demanda de empresas por empréstimos, num momento de necessidade de liquidez emergencial.

Afirmou também que a deterioração da perspectiva econômica foi amplamente compensada pelas medidas de relaxamento monetário e de apoio a liquidez do BCE, assim como por garantias de governos para empréstimos.

Mais adiante, no entanto, bancos da zona do euro esperam um aperto dos padrões de crédito para empréstimos a empresas, em parte relacionado ao fim dos esquemas de garantia estatal, apontou Lagarde.