Minha aposentadoria
Economia Patrão está pagando INSS em dia? Veja como conferir

Patrão está pagando INSS em dia? Veja como conferir

Trabalhador pode consultar extrato de pagamentos pelo site Meu INSS, acessando o site com login e senha, ou em agências do INSS

Pagamento do INSS

Trabalhador pode tirar dúvidas pelo número 135

Trabalhador pode tirar dúvidas pelo número 135

Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress - 13.04.2018

O trabalhador pode conferir se o patrão está pagando o INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) corretamente online ou em uma agência do INSS.

O trabalhador que optar por ir a uma agência do INSS deve levar a carteira de trabalho e os holerites. Lá, os funcionários são capazes de confirmar se a empresa está repassando o recolhimento mensal do INSS do salário para a instituição. 

As pessoas que optarem pelo acesso online devem entrar no site Meu INSS. A plataforma permite também a conferência de dados cadastrais do trabalhador, como nome, nome da mãe e vínculos trabalhistas. 

Para entrar no site, é preciso preencher o cadastro. O trabalhador vai precisar informar o CPF (Cadastro de Pessoa Física), nome completo e nome da mãe. Também pode colocar o e-mail e telefone, mas estes campos são opcionais. 

Ao entrar no sistema, a pessoa deve entrar em "Extrato Previdenciário (Cnis)". Lá, será possível checar todos os vínculos trabalhistas, remunerações e contribuições feitas para a Previdência. 

O registro dos vínculos está disponível na opção "Relações Previdenciárias". O extrato é suficiente para a comprovação do tempo de contribuição caso o trabalhador precise apresentá-lo em algum momento, por exemplo. 

Os trabalhadores que tiverem dúvidas sobre como navegar no Meu INSS podem ligar para a Central de Atendimento do INSS pelo número 135. O serviço está disponível das 7h às 22h de segunda-feira a sábado. 

O que fazer quando o pagamento não está sendo feito?

Segundo o advogado previdenciário Luiz Fernando Quevedo, o trabalhador que identificar que o patrão não está pagando o INSS é ir até uma agência da instituição. É preciso ver se há o desconto do INSS no holerite do trabalhador.

Caso houver e o empregador não estiver repassando o recolhimento, o patrão pode ser penalizado criminalmente. A pena para "Apropriação Indébita Previdenciária" é de reclusão, de dois a cinco anos, e multa. Quevedo explica que quando o imposto não é recolhido nos últimos 12 meses, a pessoa não é considerada um "segurado".

"Se ele estiver como não segurado, é o caso de se fazer uma denúncia junto a Procurador, que é mais moroso e geral ou fazer a denuncia junto ao ministerio do trabalho. COmo ele é empregado e tem carteira de trabalho, é uma obrigação do empregador, que não tenha honrado", afirma Quevedo.

O empregado pode, ainda, fazer uma denúncia ao sindicato da categoria, ao Ministério do Trabalho ou ao Ministério Público do Trabalho. Segundo Quevedo, "o Ministério do Trabalho poderá notificar a empresa para que comprove a regularidade dos recolhimentos e, em caso de não comprovação, autuar a empresa para que esta regularize a situação, aplicando multa pelo descumprimento da legislação".